Johannes Eisele|AFP
Johannes Eisele|AFP

Daniel Ricciardo comemora primeira fila no GP da China e crê em pódio

Australiano acredita que pode levar a Red Bull entre melhores

Estadão Conteúdo

16 de abril de 2016 | 09h21

Em um sábado em que o inglês Lewis Hamilton teve problemas com sua Mercedes e terá de largar na última posição no GP da China de Fórmula 1, todos esperavam que os dois carros da Ferrari - do finlandês Kimi Raikkonen e do alemão Sebastian Vettel - se aproveitassem para ficar logo atrás do alemão Nico Rosberg, que está "voando" com a outra Mercedes. Mas aí apareceu um intruso para ficar com a segunda colocação no grid: o australiano Daniel Ricciardo.

Com sua Red Bull, o piloto da Austrália mostra evolução nesta temporada. É o terceiro na tabela de classificação, só atrás das duas Mercedes, e tem se dado bem contra a Ferrari. Assim, acredita que tem ritmo para brigar com a dupla da escuderia italiana por um lugar ao pódio.

"Hoje (sábado) foi um dia encorajador. Se podemos fazer uma volta destas, então na corrida devemos ser bem competitivos. Normalmente somos melhores nas corridas. Tomara que possamos correr contra a Ferrari, já que, largando de pneus macios, Nico (Rosberg) deve se sair bem. Então, se pudermos lutar pelo pódio será incrível. Conseguir uma primeira fila no seco significa que nosso carro evoluiu muito desde o final de 2015. Não esperávamos por isso, mas foi incrível", disse Ricciardo.

Logo atrás do australiano estão Raikkonen e Vettel. O alemão não gostou de seu desempenho no treino de classificação e assumiu a culpa por isso. "Eu não fiz um bom trabalho hoje (sábado). Existe mais para tirar do carro, não para conseguir a pole position, mas ao menos largar em segundo, caso eu estivesse pilotando melhor", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.