Diego Azubel|EFE
Diego Azubel|EFE

Em último no grid, Hamilton promete show no GP da China

Inglês da Mercedes teve problema com o motor

Estadão Conteúdo

16 de abril de 2016 | 09h09

O inglês Lewis Hamilton, tricampeão da Fórmula 1, não vai desistir do GP da China, neste domingo, no circuito de Xangai. Prejudicado por problemas em sua Mercedes, o piloto já tinha perdido cinco posições no grid por causa da troca da caixa de câmbio para o fim de semana. No treino oficial de classificação, neste sábado, a situação piorou. Com problemas no sistema de recuperação de energia no motor, não marcou tempo no Q1 e vai largar na 22.ª e última colocação.

Enquanto vê o alemão Nico Rosberg, seu companheiro de equipe e líder da temporada com 17 pontos de vantagem, tranquilo na pole, Hamilton diz que não jogou a toalha e promete show em Xangai. "Dá para ultrapassar aqui e os pneus também não vão durar. Vou dar tudo o que tenho. Tenho que tentar o tempo inteiro e não posso desistir", disse o inglês, que vai ter a vantagem de poder usar mais jogos de pneus novos do que seus rivais diretos.

Hamilton preferiu não fazer críticas à sua equipe pelos problemas neste sábado. "O melhor que eu posso fazer é aprender. Tenho certeza de que os caras (da equipe) estão tão tristes quanto eu. Ganhamos e perdemos juntos. Temos de tentar descobrir qual é a o problema e nos certificar de que isso não vá acontecer novamente".

Já Rosberg era só felicidade após a conquista da pole, a primeira da temporada de 2016. Mas lamentou não ter podido "brigar" com Hamilton no treino de classificação. "Claro que estou satisfeito. O carro estava muito bom de pilotar durante a classificação. Conseguir a melhor volta e conseguir a pole position eu estou feliz, com certeza. Apesar da quebra de Lewis, o que é uma pena, pois a briga não aconteceu", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.