FIA adota detecção eletrônica de infrações aos limites da pista na Hungria

Mudança é para impedir que pilotos cometam irregularidades na corrida

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2016 | 12h10

Deverá ser impossível algum piloto que infringir os limites do Hungaroring sair ileso neste fim de semana. Nesta quinta-feira, na véspera da primeira sessão de treinos livres do GP da Hungria, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou que sistemas de detecção eletrônicos serão utilizados para garantir que os pilotos não ultrapassem os limites da pista que vai receber a 11ª etapa da temporada 2016.

A questão entrou no centro das atenções nas últimas provas. No GP da Áustria, as novas zebras, mais altas do que o usual, do circuito de Spielberg provocaram quebras de suspensão. Já no GP da Inglaterra, uma volta registrada por Lewis Hamilton quando lutava pela pole position acabou sendo anulada.

Agora, então, a FIA decidiu adotar novo sistema eletrônico, que estará instalado nas curvas 4 e 11, que foram instaladas nas zebras e também tiveram suas áreas de escape modificadas, como explicou a entidade através de comunicado oficial.

"Nas curvas 4 e 11, novas zebras foram instaladas e a grama artificial removida. No entanto, as áreas de escape atrás das zebras foram criadas na mesma altura da zebra, então o impeditivo não está presente. Com isso em mente, instalamos cabos com sensores de 1,6mm da margem da pista que vai nos alertar quando um carro tiver todas as quatro rodas fora da pista nestes dois locais", afirmou.

Outras mudanças também foram realizados no traçado, com alterações nas zebras das curvas 6 e 7 e o recapeamento da pista. O efeito das alterações poderá começar a ser sentido nesta sexta-feira, a partir das 5 horas (de Brasília), quando vai ser realizado o primeiro treino livre do GP da Hungria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.