GP do Brasil há 30 anos tinha 'dobradinha' de Piquet e Senna

Dupla comandou prova de abertura da temporada de 1986, no Rio

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de março de 2016 | 07h00

GP do Brasil de Fórmula 1, vitória de brasileiro e segundo lugar de outro brasileiro. Essa rara combinação na história da categoria só ocorreu duas vezes, a última delas há exatos 30 anos. Em 23 de março de 1986, no Rio de Janeiro, o carioca Nelson Piquet, da Williams, ganhou a prova de abertura da temporada, seguido por um então jovem piloto da Lotus, Ayrton Senna.

O fim de semana completamente brasileiro naquela ocasião era uma marca dos anos de ouro do País na Fórmula 1. Entre 1972, ano do primeiro título de Emerson Fittipaldi, até 1991, temporada da última conquista de Senna, o Brasil foi campeão da categoria oito vezes, com direito a 11 "dobradinhas", duas delas em casa. Em 1975, José Carlos Pace e Fittipaldi comandaram em Interlagos, para em 1986, a façanha se repetir.

A prova no autódromo de Jacarepaguá marcava a estreia de Piquet na Williams. Campeão mundial com a Brabham em 1981 e 1983, o piloto era a estrela da prova de abertura do campeonato. O favorito acabou surpreendido nos treinos pelo compatriota mais jovem. Senna iniciava a terceira temporada da carreira, havia completado 26 anos dois dias antes da prova e vinha de um ano anterior bem positivo, já que garantiu as duas primeiras vitórias na Fórmula 1.

Na definição do grid Piquet teve problemas. O piloto bateu a poucos minutos do fim e sem tempo para se recuperar, viu-se obrigado a se contentar com a segunda posição. O pole position seria Senna, a oitava dele na carreira. Logo atrás deles, a Williams do inglês Nigel Manssel partia em terceiro.

A equipe, aliás, vivia um período tenso. O fundado e chefe da escuderia, Frank Williams, estava no hospital e não pode vir ao Brasil para a prova. O dirigente tinha acabado de sofrer um acidente automobilístico na França. As fraturas na coluna causadas pelo impacto o deixaram tetraplégico, mas não o impediram de continuar ativo na Fórmula 1.

Durante a prova, a liderança de Senna durou pouco. Logo na terceira volta o motor Honda da Williams foi decisivo para que Piquet ultrapassasse o compatriota. A partir daí, os dois rumaram ao pódio sem serem incomodados. O francês Jacques Laffite, da Ligier, chegou em terceiro e completou o trio vencedor.

O público foi ao delírio pela ótimo resultado brasileiro. O hino nacional tocado no pódio e as bandeiras pelo autódromo antecipavam a grande temporada que a dupla viveria. Cada um ganhou quatro provas em 1986, com direito a mais duas dobradinhas: uma na Alemanha e outra na Hungria. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.