Sebastião Moreira|Efe
Sebastião Moreira|Efe

Marc Márquez ataca Valentino na MotoGP: 'Não é mais meu ídolo'

Espanhol afirma ver italiano veterano como rival no campeonato

O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2016 | 16h13

De passagem pelo Brasil, o espanhol bicampeão da MotoGP Marc Márquez atacou o arquirrival Valentino Rossi nesta terça-feira. Durante evento em São Paulo, o piloto de 23 anos disse que o italiano heptacampeão da categoria deixou de ser o seu ídolo no esporte depois de se envolverem em polêmicas durante o campeonato do ano passado, quando os dois se envolveram em um acidente.

No GP da Malásia do ano passado, Rossi, de 37 anos, tirou Márquez da prova em um toque polêmico na penúltima prova da temporada, em disputa que valia o terceiro lugar. "Ele não é mais meu ídolo. Eu sempre me espelhei no Valentino, mas a rivalidade é o que te faz crescer. Cada vez mais, você quer tentar ganhar", comentou o espanhol nesta terça.

A manobra provocou polêmica na categoria. Na prova seguinte, Rossi foi punido pela organização e teve que largar em último lugar na corrida final, em Valencia, que consagrou o espanhol Jorge Lorenzo como campeão. Antes mesmo da Malásia o italiano e Márquez estavam em uma convivência conturbada, já que o heptacampeão acusava o jovem piloto de favorecer o compatrioca na briga pelo título.

Em 2016 a temporada está mais favorável a Márquez. O espanhol é o líder após duas etapas e vem de vitória no último domingo, na Argentina. "Todos querem copiar a carreira do esportiva do Valentino, tudo que ele conseguiu e como pilota. Ele é muito grande para o motociclismo. A rivalidade é importante para a MotoGP e para os fãs do nosso esporte, espero que ela siga aumentando neste ano", disse.

Apesar da rivalidade, Márquez admitiu que no passado admirava e tinha o italiano como exemplo. "O Valentino é uma referência para muitos pilotos, por tudo o que fez e por seus recordes e por seus fãs. Mas, no fim, bater recordes ou não, não é o que me importa. O importante é ter a mentalidade de vencer a cada ano, e aprender com os erros", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.