Novo paddock de Interlagos recebe críticas e elogios dos pilotos

Pilotos aprovam espaço atrás dos boxes, mas apontam alguns problemas na obrainaugurada às pressas

ALMIR LEITE, CIRO CAMPOS E FELIPE ROSA MENDES, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2015 | 07h00

O novo paddock de Interlagos foi inaugurado para valer ontem, com a realização dos primeiros treinos livres para o GP do Brasil de Fórmula 1 e o aumento da circulação de convidados, mecânicos e pilotos. A ampliação do local propicia à cada equipe ter cerca do triplo do espaço do ano passado, mas não evitou certas ressalvas.

“Não está tão diferente do que era, mas certamente está melhor e mais espaçoso do que víamos no ano passado”, comentou o finlandês Valtteri Bottas, da Williams.

Para 2015 a prefeitura entregou a segunda das três fases de reforma do autódromo. A parte de trás dos boxes, o chamado paddock, ganhou dois novos prédios. Um deles tem dois andares e apenas o térreo está pronto. O restante será entregue apenas no próximo ano. O custo total é de R$ 101,8 milhões, com recursos federais.

Essa transição deixa o cenário com caráter de provisório e causou alguns problemas para os pilotos, como para o brasileiro Felipe Nasr, da Sauber. “Tinha uma goteira, então vou ter que pegar um balde para não tomar água na cabeça”, comentou em tom de piada. “Parece que nem a pintura do paddock está feita. Achei um pouco estranho”, completou.

O outro brasileiro da categoria, Felipe Massa, foi mais crítico ao comentar o cenário do paddock. “Sem dúvida a ideia foi boa, porque dá mais espaço para as pessoas ficarem mais confortáveis. Mas podia ter acabado a parte de cima para ficar bonito”, afirmou o piloto de Williams. “Parece uma casa que começou e não acabou.”

Mesmo parcial, a entrega da obra mudou bastante o cotidiano das equipes. O novo prédio do paddock foi construído dois metros mais distante dos boxes, o que deu mais espaço para a circulação de pessoas.

As equipes puderam aprimorar os locais para receber convidados e tiveram mais espaço para servir as refeições aos seu funcionários. “O paddock me parece um pouco melhor. Eu me lembro de que fazíamos entrevistas todos juntos, em um espaço pequeno”, disse o espanhol Fernando Alonso, da McLaren.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.