Alessandro di Marco|EFE
Alessandro di Marco|EFE

Para Massa, Williams deve repetir terceiro lugar em Construtores

Piloto brasileiro vê equipe atrás apenas de Mercedes e Ferrari

Estadão Conteúdo

10 de março de 2016 | 14h05

Faltando dez dias para o início da temporada 2016 da Fórmula 1, Felipe Massa acredita que a Williams deve ficar novamente atrás da Mercedes e da Ferrari no Mundial de Construtores. Avaliando o rendimento das equipes nos testes coletivos da pré-temporada, o piloto brasileiro vê como positiva esta possibilidade.

"(Ficar em 3º) Me parece um bom plano. Mas nunca podemos esquecer que as equipes podem evoluir muito de uma temporada para outra", afirma o piloto, sem esconder a preocupação com o possível crescimento da Red Bull e da McLaren neste ano - em 2015, os dois times decepcionaram nas pistas.

Na sua opinião, a Ferrari é o melhor exemplo de evolução, em razão do crescimento que ocorreu entre 2014 e 2015. "Foi o time que mais evoluiu em 2015. E realmente acredito que eles podem melhorar ainda mais. Provavelmente a Ferrari é a única capaz de enfrentar a Mercedes atualmente", avalia.

Mesmo ciente das limitações da Williams, Massa não deixa de sonhar com um bom crescimento do time neste ano. "Também podemos evoluir bastante. Será uma temporada interessante. Nosso carro é muito promissor e tivemos a oportunidade de rodar toda a nossa programação e coletar muitos dados nos testes."

Massa diz que a Williams pode crescer especialmente na parte aerodinâmica e em pistas molhadas. "Temos que nos concentrar primeiro nas curvas mais lentas. Precisamos também melhorar na aerodinâmica e buscar melhor equilíbrio do carro com mau tempo. O carro precisa ter maior aderência à pista", diagnostica.

Prestes a iniciar sua 15ª temporada na Fórmula 1, Massa garante a motivação para encerrar seu jejum de vitórias na categoria. "Ainda estou com fome. Tenho a vontade de fazer melhor, de eliminar tudo o que não funcionou bem no ano passado. Porque fazer o mesmo que no ano anterior é um hábito que costuma tirar o piloto da categoria", afirma o piloto, que tem um jejum de oito anos sem vitória na F1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.