Problema em pneus foi causa da troca de posições entre pilotos, diz Mercedes

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, revelou nesta segunda-feira que foi um problema de aquecimento nos pneus do carro de Nico Rosberg que motivou a troca de posição com Lewis Hamilton durante a primeira metade do GP de Mônaco, no domingo. Após ter a ultrapassagem facilitada por ordem da equipe, o inglês buscou sua primeira vitória na temporada da Fórmula 1.

Estadão Conteúdo

30 de maio de 2016 | 17h20

"Desde o começo da prova parecia que estávamos sofrendo algum problema com os pneus. [Daniel] Ricciardo estava simplesmente disparando e Nico não conseguia acompanhá-lo. A razão para isso, segundo avaliamos, foi a temperatura dos pneus", explicou Wolff, ao justificar a decisão de dar a ordem para a troca de posições.

Rosberg largou em segundo lugar, atrás apenas de Ricciardo, da Red Bull, e à frente de Hamilton. Porém, o alemão teve dificuldades para impor ritmo forte, ao contrário do inglês. Assim, na 16ª volta, a Mercedes ordenou que Rosberg liberasse a passagem de Hamilton para que a equipe tivesse chance de vencer no domingo.

"Nós demos um tempo para que Nico pudesse aquecer melhor os pneus, mas isso não aconteceu. Então finalmente anunciamos a decisão porque o ritmo de Nico era muito lento. Se nada fosse feito, estava claro que iríamos perder a corrida. No final, nossa decisão se mostrou a mais correta", declarou Wolff.

O chefe da Mercedes revelou também que Rosberg não hesitou ao receber a ordem para liberar a passagem do companheiro, com quem vem tendo atritos internos nos últimos anos. "Não houve nenhum questionamento! Primeiro pedimos a ele para melhorar o ritmo, se fosse possível. Como não foi, demos a ordem. E ele acatou imediatamente", disse Wolff, ao elogiar a postura do piloto alemão, que terminou a prova em 7º lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.