Diego Azubel/ EFE
Diego Azubel/ EFE

Rosberg minimiza vantagem antes do GP da Rússia e pensa em uma prova por vez

Alemão ganhou as três primeiras provas da temporada

Estadão Conteúdo

25 de abril de 2016 | 15h55

Às vésperas do GP da Rússia, a quarta etapa da temporada 2016 da Fórmula 1, Nico Rosberg reconhece que não poderia ter um início melhor de campeonato do que o atual, com três vitórias e uma vantagem de 36 pontos para o seu principal concorrente, Lewis Hamilton, seu companheiro de equipe na Mercedes. Por isso, o próprio alemão reconhece que o desempenho é melhor do que imaginava, mas descarta qualquer traço de euforia, lembrando que ainda serão disputadas mais 18 provas e há fortes concorrentes a serem superados.

"É muito bom ver que ainda temos o carro mais rápido e, é claro, é sempre o plano ganhar todas as corridas. Mas eu nunca teria esperado que os três primeiros fins de semana seriam da maneira que foram. Eu aproveitei a maioria das minhas oportunidades e tenho um pouco de vantagem nos pontos agora, mas nós temos apenas três corridas e bastaria um fim de semana ruim para essa lacuna desaparecer. Lewis ainda é o ponto de referência para mim, pois ele é o atual campeão, a Ferrari não mostrou ainda o que pode fazer ainda e a Red Bull também parecem estar ficando mais forte, por isso vai ser uma boa batalha e estou ansioso para isso", disse.

Assim, Rosberg garante que o foco está numa prova de cada vez, sem pensar na possibilidade de conquistar o seu primeiro título mundial. "Por agora, eu só estou pensando corrida a corrida, com foco em fazer minha própria prova e trabalhar para tirar o melhor da minha capacidade. Essa abordagem tem funcionado bem para mim até agora", afirmou.

A próxima dessas provas será o GP da Rússia, no circuito de Sochi, neste domingo. Rosberg lembrou que teve bom desempenho no fim de semana do ano passado, quando faturou a pole position, até ter problemas no carro, e em 2014, quando ficou na segunda posição.

"Eu estava bem em todo fim de semana no ano passado, até que um problema técnico me colocou fora da corrida, e me diverti muito no ano antes lutando atrás, então eu sei que serei competitivo nesta pista. Ela também tem grandes memórias por comemorar as conquistas de campeonato pela equipe", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.