Lynn Bo Bo| EFE
Lynn Bo Bo| EFE

Rosberg nega favoritismo e vê disputa com Hamilton aberta

Alemão não se empolga com vitórias no início da temporada da F-1

Estadão Conteúdo

18 de abril de 2016 | 11h36

A série de três vitórias nas provas que abriram a temporada 2016 da Fórmula 1 e a vantagem de 36 pontos para Lewis Hamilton tornam, evidentemente, Nico Rosberg o favorito a conquistar o título do campeonato. O alemão, porém, minimizou o atual cenário e declarou que o seu ótimo início não vai frear o ímpeto do seu companheiro de equipe, que luta para ser tricampeão consecutivo, mas sofre com problemas no início deste ano.

"Muito pelo contrário. Meu companheiro de equipe é Lewis Hamilton, e ele tem sido o ponto de referência pelos últimos dois anos. A diferença de pontos é como nada, se você considerar todos os pontos ainda em disputa este ano. São duas corridas de diferença. Sempre será uma dura batalha contra ele. Ele está focado e motivado como sempre. Ele nunca vai desistir", disse.

Pole position do GP da China, Rosberg teve um domingo tranquilo em Xangai, dominando a prova para assegurar mais uma vitória, a sexta consecutiva, levando em consideração as provas que fecharam a temporada 2015. Com esse resultado, o alemão se tornou o décimo piloto a vencer as três primeiras provas de um campeonato, sendo que todos os que atingiram tal feito antes dele se tornaram campeões mundiais.

"É muito cedo para fazer qualquer prognóstico. Foram três corridas até agora e elas foram muito boas para mim, mas é a temporada mais longa da história da F1 com 21 corridas, com mais 18 a serem disputadas", afirmou Rosberg, garantindo que nesse momento apenas quer pensar em uma corrida de cada vez.

"Não faria sentido realizar qualquer conclusão prematura. Claro que estou feliz com a maneira que foi e estou me sentindo bem com o carro, mas eu não quero dizer mais do que isso", concluiu o líder disparado do Mundial de Pilotos.

Após a prova do último fim de semana na China, o circo da Fórmula 1 volta a se reunir na Rússia, palco do quarto GP do campeonato, marcado para 1º de maio, em Sochi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.