Vaiado por ferraristas em Monza, Verstappen diz que não mudará sua forma de guiar

Max Verstappen foi recebido com vaias de torcedores da Ferrari quando chegou nesta quinta-feira ao circuito de Monza, palco do GP da Itália de Fórmula 1, no próximo final de semana. O motivo para a recepção hostil aconteceu após o jovem holandês da Red Bull se envolver em disputas polêmicas de pista com Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen no GP da Bélgica, no último domingo, quando foi acusado de guiar de forma um pouco irresponsável e quase provocar acidentes com os dois pilotos da escuderia italiana.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2016 | 15h07

Naquela ocasião, por causa de suas manobras, Verstappen obrigou os dois campeões mundiais a frearem seus carros em pontos impróprios da rápida pista de Spa-Francorchamps. O fato irritou Raikkonen, que chegou a dizer após a prova que o garoto de 18 anos só irá mudar a sua forma de guiar quando provocar um acidente sério.

Até mesmo Jacques Villeneuve, ex-piloto da Fórmula 1 e campeão mundial em 1997, criticou o prodígio da Red Bull, que neste ano já entrou para a história ao se tornar o mais jovem a ganhar uma corrida na categoria máxima do automobilismo.

A repercussão negativa da corrida na Bélgica, porém, não motivará o holandês a mudar o seu estilo de pilotagem. "Guiarei como sempre, e mostrarei que minha forma de pilotar é a mesma de sempre", afirmou Verstappen, que é um belga radicado na Holanda e foi altamente festejado pela torcida local na etapa passada do Mundial de F1.

Na Bélgica, por sinal, Verstappen se aproximou de forma perigosa dos carros de Raikkonen e Vettel já na primeira curva da prova após a largada, assim como depois enfureceu o finlandês da Ferrari ao impedir que o mesmo o ultrapassasse em disputas nas quais os monopostos dos dois pilotos se tocaram por mais de uma vez.

Após os incidentes de pista com o jovem holandês, Raikkonen chegou a insultá-lo, embora depois tenha sido mais comedido ao comentar as manobras do garoto. "Não tenho nada pessoal contra Max. Está fazendo um grande trabalho e é rápido, mas penso que, em certas ocasiões, não é certo se você tem de reduzir a velocidade ou frear a toda velocidade", ressaltou.

Por causa de uma das manobras de Verstappen, Raikkonen chegou a encostar na lateral do carro de Vettel em certo momento, fato que o próprio holandês admitiu que foi um fato "lamentável". Entretanto, ele lembrou que não foi punido pelo incidente e acredita que não dirigiu de forma irresponsável.

"Não houve sanções, assim como não acho que haja motivos para mudar algo (na forma de pilotar). Acho que todos aprendemos algo, inclusive quando você é um piloto experiente você pode seguir aprendendo", enfatizou Verstappen.

Vettel, por sua vez, reclamou do fato de não poder conversar diretamente com o holandês sobre os incidentes ocorridos na Bélgica, o que poderia tornar a relação entre eles e todos os outros pilotos mais harmoniosa.

"Seria muito melhor se nos deixassem lidar com isso, e também promove o respeito entre os pilotos se pudermos falar a respeito, mas não podemos fazer isso", afirmou o tetracampeão mundial, se referindo ao fato de que considera pior acionar os comissários de prova para reclamar de manobras de um concorrente dentro da pista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.