Acidente grave marca treino da F-Truck

Um grave acidente marcou o início da quinta etapa da Fórmula Truck, em Londrina: nesta sexta-feira, no primeiro treino livre, o líder do campeonato, Wellington Cirino (Mercedes), bateu forte contra o muro, teve fraturas na perna esquerda e neste sábado passará por cirurgia. Mais dois treinos livres serão realizados, neste sábado, antes do classificatório, às 16h30. A corrida, domingo, às 14h, terá transmissão da RedeTV!. Cirino, que lidera a competição com 69 pontos, teve um problema no caminhão quase em frente à linha de chegada. O veículo pegou fogo e o piloto bateu contra o muro a 160 quilômetros por hora. Fraturou o fêmur, a tíbia e rompeu todos os ligamentos do tornozelo esquerdo. O pai do piloto, Roberto Cirino, disse. "A cirurgia vai ficar para amanhã (sábado) porque não havia vagas no centro cirúrgico. A fratura no tornozelo é bastante grave". Presidente da categoria, Aurélio Batista, lamentou. "Foi muito azar, mas faz parte da corrida". Com isso, o segundo colocado, Leandro Totti (Ford), terá a possibilidade de passar ao primeiro lugar. O piloto, que está 22 pontos atrás de Cirino, correrá em casa, mas está bastante cauteloso. Nesta sexta, ele teve problemas no caminhão durante os dois treinos e fez apenas o oitavo melhor tempo (1min40s693). "Mesmo sem o Cirino sei que não vai ser nada fácil conseguir a liderança. Todo mundo está perguntando se vou ganhar, mas será complicado, ainda mais porque não conseguimos ajustar o caminhão. O pessoal vai trabalhar para os treinos de amanhã (sábado)", disse Totti. "Foi muito triste isso que aconteceu com o Cirino. Estamos todos torcendo pela recuperação dele", acrescentou. O paranaense aponta Djalma Fogaça (Ford) e Renato Martins (Volkswagen) como favoritos à vitória. "A pista de Londrina é difícil de fazer ultrapassagens. Vai se dar melhor quem sair na frente", afirmou. Os resultados mostraram que os caminhões pequenos (de nove litros), como os Ford e Volkswagen, levarão vantagem no circuito paranaense - mais travado e com poucas retas. O mais rápido na sexta foi Djalma Fogaça, com 1min39s643. O "Caipira Voador" não participou do primeiro treino porque estava com problemas no motor. No segundo, com caminhão ajustado, fez apenas quatro voltas e conquistou o melhor tempo. O segundo foi Jonathas Borlenghi (Volks), com 1min39s887, e Beto Monteiro (Ford) em terceiro, que fez a melhor sua volta em 1min39s950.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.