Acidentes encerram GP do Brasil

O Grande Prêmio do Brasil foi uma autêntica corrida maluca. Não teve largada ou bandeirada de chegada, o líder da prova passou boa parte do tempo atrás do safety car e, depois de várias chuvas torrenciais e acidentes em série, apenas seis carros cruzaram a linha de chegada inteiros. Houve confusão até para definir o vencedor, o finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren. "Em minha carreira, nunca participei de uma corrida com tantos acidentes e incidentes", disse o diretor de prova, Carlos Montagner, após o encerramento.As dificuldades em definir o vencedor aconteceram porque a prova foi encerrada após 53 voltas. Na volta de número 55, o italiano Giancarlo Fisichella, da Jordan, chegou a ultrapassar Raikkonen, mas como a corrida terminou com bandeira vermelha acionada após acidente envolvendo o espanhol Fernando Alonso, da Renault, a classificação final considerou a volta na qual o finlandês era líder. Mesmo com o acidente, Alonso foi o terceiro colocado. Também marcaram pontos, David Coulthard (McLaren), Heinz-Harald Frentzen (Sauber), Jacques Villeneuve (BAR), Mark Webber (Jaguar) e Jarno Trulli (Renault).O dia foi ruim para o Brasil, especialmente para Rubens Barrichello. O piloto da Ferrari, que largou na pole position, estava liderando a corrida quando, na volta de número 47 abandonou por falta de combustível no tanque. Uma decepção para a maioria dos 66.500 espectadores, que esperavam por uma vitória brasileira, o que já não acontece há dez anos.Também não foi uma boa corrida para Antônio Pizzonia. O piloto da Jaguar derrapou na Curva do Sol na 25ª volta e encerrou sua participação quando ainda tinha chances de pontuar. Cristiano da Matta, também não teve muito o que comemorar: parou na volta de número 52, depois de muitos problemas tanto nos treinos de classificação no sábado quanto na corrida deste domingo.Traiçoeira - A Curva do Sol foi carrasca da maioria dos pilotos que participaram da prova. Oito pilotos derraparam no ponto, que estava alagado na sua parte interna. Seis terminaram a participação no GP do Brasil neste ponto, inclusive o alemão Michael Schumacher, que cometeu erros na terceira corrida consecutiva e já deixa os torcedores da escuderia de Maranello preocupados com o futuro da temporada.Rubinho foi atração à parte no GP. O brasileiro, que havia feito um acerto do carro para uma pista não muito molhada, perdeu posição já na primeira volta e chegou a ficar em grande desvantagem com relação aos adversários. Mas a partir do momento no qual a pista secou e houve a troca de pneus, que tiveram problemas de pressão, o brasileiro começou a brilhar e ultrapassagem a após ultrapassagem, conquistou novamente a liderança para euforia de uma animada torcida, que passou a manhã sob forte chuva esperando por uma vitória brasileira.A performance de Rubinho era tão boa que, mesmo abandonando, o piloto registrou a volta mais rápida da corrida 1min22s032. Depois que a Ferrari foi para a grama, só restou a ele sentar-se no chão e lamentar outro momento de falta de sorte correndo em casa. (Colaborou Roberto Bascchera) Confira a ordem de chegada do GP do Brasil de Fórmula 1:1) Kimi Raikkonen (FIN) - McLaren 2) Giancarlo Fisichella (ITA) - Jordan3) Fernando Alonso (ESP) - Renault.4) David Coulthard (ESC) - McLaren5) Heinz-Harald Frentzen (ALE) - Sauber6) Jacques Villeneuve (CAN) - BAR7) Mark Webber (AUS) - Jaguar8) Jarno Trulli (ITA) - Renault9) Ralf Schumacher (ALE) - Williams10) Cristiano da Matta (BRA) - Toyota

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.