Jamie Gallagher/AP
Jamie Gallagher/AP

Acidentes geram apreensão para as 500 milhas de Indianápolis

Brasileiro Hélio Castroneves foi um dos acidentados nos testes

O Estado de S. Paulo

18 de maio de 2015 | 12h37

Neste fim de semana, os treinos da tradicional prova das 500 milhas de Indianápolis assustaram pilotos e espectadores da Fórmula Indy. Antes da pole-position ser garantida por Scott Dixon, neste domingo, uma série de acidentes aconteceram no circuito, um dos mais tradicionais da história do automobilismo.

O primeiro dos acidentes nos treinos livres envolveu um brasileiro: Hélio Castroneves. O piloto perdeu o controle na curva, se chocou contra o muro e, em alta velocidade, 'decolou' e permaneceu no ar durante segundos. Apesar da imagem forte do acidente, Helinho não sofreu maiores ferimentos e, após a classificação, largará na 2ª fila da corrida, ao lado do compatriota Tony Kanaan.

No mesmo dia, a piloto Pippa Mann também assustou os espectadores ao perder o controle, bater na entrada do pit, rodar e ir parar no meio da pista. No dia seguinte, o piloto Josef Newgarden protagonizou uma imagem parecida com a de Helinho: também se chocou contra o muro e 'voou'.

Já neste domingo, o carro de Ed Carpenter também 'decolou' e se arrastou, de ponta-cabeça, durante metros, produzindo muita faísca nos treinos classificatórios e gerando ainda mais tensão para a prova de domingo. Todos os acidentes desta semana aconteceram com pilotos experientes, acendendo a possibilidade de haver algo de errado com os carros. Na terça-feira, o carro de Simona de Silvestro já havia entrado em chamas. Apesar dos 'sustos', nenhum deles sofreu ferimentos graves.

Tomada pela tensão, a edição 2015 da tradicional prova das 500 milhas de Indianápolis acontece no próximo domingo. O neozelandês Scott Dixon, da Ganassi Chevrolet, largará na pole, seguido por Will Power e por Simon Pagenaud. Tony Kanaan, Hélio Castroneves e o inglês Justin Wilson ocupam a segunda fila.

CONFIRA OS VÍDEOS DOS ACIDENTES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.