Tannen Maury/EFE
Tannen Maury/EFE

Organização adia as 500 Milhas de Indianápolis para agosto por causa da pandemia

Em vez de ser maio, tradicional prova do automobilismo americano muda de mês pela primeira vez desde 1946

Redação, Estadão Conteúdo

26 de março de 2020 | 16h12

A tradicional prova das 500 milhas de Indianápolis, programada inicialmente para 24 de maio, foi adiada para 23 de agosto por causa da pandemia do novo coronavírus. Será a primeira vez desde 1946 que a corrida não será disputada no fim de semana anterior ao Memorial Day, feriado nacional nos Estados Unidos em homenagem aos militares mortos em combate, programado para a última segunda-feira de maio.

Os treinos livres serão disputados nos dias 13 e 14 de agosto, enquanto a classificação do grid será definida nos dias 15 e 16. No dia 21 será a última prática na pista antes da prova e na véspera da corrida, dia 22, está programada a sessão de autógrafos como parte do "Dia das Lendas".

O adiamento foi algo inevitável, após todas as competições a motor terem cancelado várias de suas etapas pelo mundo, incluindo Fórmula 1 e MotoGP. A corrida de maio seria a primeira de Roger Penske na direção, após ter comprado o Indianapolis Motor Speedway e a Indy Car em janeiro.

"A saúde de nossos participantes e espectadores da prova são a nossa máxima prioridade. Acreditamos que o adiamento é a decisão mais responsável com as condições e restrições que enfrentamos", disse Penske, obrigado a cancelar quatro etapas da Indy (São Petersburgo, Flórida, Long Beach e Texas). A próxima prevista é de 31 de maio, em Detroit.

As 500 Milhas de Indianápolis começaram a ser disputadas em 1911, mas não foram realizadas em 1917, 1918, e de 1941 a 1945 por causa das duas guerras mundiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.