Adversários encostam na Ferrari

Ainda não dá para comemorar. Afinal, pode ser que amanhã, na sessão que definirá o grid do GP da Áustria, no circuito A1-Ring, Michael Schumacher e Rubens Barrichello, da Ferrari, imponham a seus adversários outra vantagem desmoralizante como as das últimas etapas do Mundial. Mas é inegável que o resultado dos treinos livres desta sexta-feira ofereceu um pequeno alento aos que gostam de competição. A dupla da Ferrari permaneceu na frente, com Barrichello em primeiro e Schumacher em segundo. A diferença das demais etapas é que Juan Pablo Montoya, da Williams, e Kimi Raikkonen, McLaren, obtiveram tempos muito próximos.O colombiano da Williams, terceiro mais veloz com 1min10s613, ficou a 64 centésimos de segundo de Barrichello, 1min10s549, e a 34 centésimos de Schumacher, 1min10s579. O finlandês Raikkonen registrou o quarto melhor tempo, 1min10s657, a 108 milésimos de Rubinho e a 44 centésimos de Montoya. O irmão de Schumacher, Ralf, também da Williams, teve problemas e obteve apenas a 12ª marca do dia, 1min11s652.O que impressionou no treinamento desta sexta-feira foi que não só a Williams e a McLaren ficaram mais próximas da Ferrari, mas vários outros concorrentes também. De Barrichello para o décimo colocado, Takuma Sato, da Jordan, a diferença foi de 988 milésimos de segundo.Há quem acredite que amanhã, na sessão de classificação, a realidade técnica da Fórmula 1 se restabelecerá, com a Ferrari se impondo novamente, ainda que, pelas características dos 4.326 metros do circuito austríaco, a diferença deverá ser bem menor que em outras pistas."Trata-se de um traçado onde o motor conta mais que em Barcelona, por exemplo, por isso podemos ajudar bastante a nossa equipe", disse Mario Theissen, da BMW, fornecedora da Williams, o que não deixa de ser um reconhecimento às limitações do chassi da escuderia inglesa. Theissen não excluiu também a Michelin de crítica: "Se o tempo estiver do nosso lado, podemos pensar em disputar uma boa classificação." Nesta sexta-feira a temperatura subiu para 22 graus, o que fez melhorar o desempenho dos pneus franceses usados pela Williams e McLaren. A Ferrari usa Bridgestone.Mas Montoya viu mais progressos na Williams. "Avançamos bem no acerto do carro da sessão da manhã para a da tarde, além de as modificações introduzidas no FW23 sugerirem tê-lo tornado mais rápido." Patrick Head, o diretor-técnico da equipe, e o projetista Gavin Fisher adotaram no FW23 um novo aerofólio dianteiro, bastante semelhante ao da Ferrari, em que as linhas curvas substituem as retas.Um integrante da Williams confidenciou que a necessidade de se aproximar da Ferrari é tanta que os especialistas em aerodinâmica, ao detectarem no túnel de vento que o novo aerofólio representou vantagens, orientaram sua produção para uso já na Áustria, sem experimentá-lo nos testes particulares.Barrichello estava satisfeito com sua Ferrari, como não poderia deixar de ser. De manhã, no fim do treino, chegou a sair da pista ao bloquear as rodas numa freada. O desgaste dos freios na pista austríaca deve decidir a sorte de alguns concorrentes ao longo das 71 voltas da corrida. Por esse motivo, o número de voltas percorrido por vários pilotos foi o maior registrado nas últimas etapas do Mundial, incluindo-se aí as de alguns anos anteriores: Olivier Panis, da BAR, oitavo nesta sexta-feira, com 1min11s382, foi quem mais andou (66 voltas), seguido por Alex Yoong, da Minardi, 20º com 1min12s564, com 52 voltas.Além de Barrichello, Enrique Bernoldi, da Arrows, realizou ótimo trabalho, ao ficar em sexto lugar (1min11s244), bem melhor que o seu companheiro, o experiente Heinz-Harald Frentzen, 13º colocado (1min11s743), que danificou o assoalho do carro ao sair da pista. "Nosso carro parece estar bem acertado para este traçado", disse Bernoldi, embora reconhecesse que amanhã, na definição do grid, não deverá manter-se tão à frente. Jenson Button, 14º, e Jarno Trulli, 17º, ambos da Renault, devem avançar muito, por exemplo.Felipe Massa, da Sauber, depois de um excelente treino pela manhã, em que foi terceiro, não melhorou a sua marca à tarde, quando a pista estava menos escorregadia. Por isso, caiu para 15º lugar, com 1min12s013. "Procuramos acertar minha Sauber para a corrida", explicou.A Rede Globo transmite ao vivo o treino de classificação do GP da Áustria, sexta etapa do campeonato, a partir das 8 horas deste sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.