Alesi e Frentzen poderão testar na F1

As equipes Jordan e Prost vão utilizar o direito de percorrer 50 quilômetros em testes, na semana de corrida, para verificar se o trabalho de adaptação de seus novos pilotos ao cockpit dos carros não necessita de mudanças, como quase sempre ocorre. Jean Alesi irá estrear na Jordan e Heinz-Harald Frentzen na Prost já na próxima etapa do Mundial, dia 19, na Hungria.Na segunda-feira, Alesi conhecerá, em Silverstone, Inglaterra, como o modelo EJ11 da Jordan-Honda reage ao seu comando. O monoposto tem um motor diferente (Honda) do que a Prost utiliza (Ferrari) e com o qual Alesi estava acostumado. Ele também usará pneus Bridgestone ao invés de Michelin. Além disso, a estrutura da Jordan, pelo orçamento do time, é bem mais desenvolvida.Mas, antes de exigir um pouco do EJ11, sua preocupação será saber se o banco, confeccionado sob medida, lhe permite conduzir confortavelmente, se a distância dos pedais está correta, se a posição das pequenas alavancas do câmbio e embreagem, atrás do volante, são atingidas por seus dedos como se recomenda.Não é tudo: cada escuderia tem hoje um menu de recursos eletrônicos em seus monopostos. Sua assimilação exige do piloto um bom tempo de contato com essa tecnologia para poder tirar do veículo o que ele pode oferecer. É tudo muito individualizado na Fórmula 1.Ao contrário dos seus colegas, que preferem as alavancas de troca das marchas na disposição "15 minutos para as três horas" no volante, Alesi usa a configuração "10 minutos para as duas." Suas mãos ficam quase na porção superior do volante. Os 50 quilômetros do ?shakedown? do carro representam uma oportunidade para o piloto francês, que disputou bela temporada até o GP da Alemanha pela Prost, de familiarizar-se um pouco com o modelo da equipe que espera muito dele, a ponto de dispensar Heinz-Harald Frentzen.Já o alemão não dispôs de muita escolha. Com a ruptura do seu contrato com a Jordan, teve de aceitar a vaga de Alesi na Prost, hoje uma organização castigada por dívidas. Frentzen vai conhecer o AP04 possivelmente em Magny-Cours, na França. O carro tem motor Ferrari e pneus Michelin, de características distintas do motor Honda e pneus Bridgestone da Jordan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.