Alex Barros torce por acerto com Honda

Alexandre Barros, único latino-americano no Mundial de MotoGP, quer começar 2004 com uma boa notícia: a troca da Yamaha - que só termina no fim desta próxima temporada - pela Honda. A negociação caminha lenta, difícil, mas o piloto se diz otimista.Alexandre está descansando com a família em Alphaville e só pretende viajar para a Europa quando a situação estiver resolvida. "Ainda não posso garantir nada. Minha vontade é voltar para a Honda que, em minha opinião, terá a moto para lutar pelo título outra vez, no ano que vem."Nesse caso, Alexandre deixaria a Fortuna Yamaha, onde correria ao lado do italiano Marco Melandri, e disputaria o próximo MotoGP pela Repsol Honda, tendo como companheiro de equipe o norte-americano Nicky Hayden, quinto colocado no Mundial de 2003.A grande mudança no motociclismo mundial para 2004 ficou por conta do tricampeão Valentino Rossi, que trocou a equipe oficial da Honda pela Gauloises Yamaha por US$ 10 milhões. A Gauloises foi a equipe de Alex Barros e Olivier Jacque em 2003. Jacque, decepcionado com os resultados técnicos, pediu para sair no fim do campeonato e nem deverá correr no ano que vem. E o brasileiro foi transferido para a Fortuna, mas não quer ficar.A Yamaha reestruturou todo seu departamento de competições para transformar o modelo YZR-M1 em uma máquina vencedora. O primeiro grande desafio da Yamaha e de Rossi será o teste coletivo previsto para 24 de janeiro, em Sepang, na Malásia. Alexandre Barros, que ainda faz fisioterapia desde a operação no ombro, em novembro, não deverá testar em janeiro.Alexandre Barros não comenta o que fará na próxima temporada caso as negociações com a Honda acabem não dando certo: "Só vou pensar nisso depois."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.