Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Alfa Romeo perde apelação contra punições de Raikkonen e Giovinazzi na Alemanha

FIA entende que os dois pilotos foram beneficiados pela embreagem na largada chuvosa, que viola regras da modalidade

Redação, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2019 | 11h04

Na briga pelo sexto título mundial de Fórmula 1 em sua carreira, o inglês Lewis Hamilton corria o risco de perder os dois pontos que conquistou com a nona colocação do GP da Alemanha, disputado no circuito de Hockenheim, no final de julho. Nesta terça-feira, isso não acontecerá mais por que a Alfa Romeo perdeu a apelação feita na FIA (Federação Internacional de Automobilismo, na sigla em francês) visando recuperar os pontos conquistados na pista pelo finlandês Kimi Raikkonen e o italiano Antonio Giovinazzi.

Punições dadas após as corridas não são passíveis de apelação na FIA. A Alfa Romeo ainda tentou entrar com um recurso, argumentando que tinha pontos ao seu favor, mas a entidade, que tem sede em Paris, considerou inadmissível.

Raikkonen e Giovinazzi terminaram a corrida na Alemanha em sétimo e oitavo lugares respectivamente, mas foram punidos quase quatro horas depois com a adição de 30 segundos ao tempo de prova e ficaram na 12.ª e 13.ª posições. A FIA entendeu que os dois pilotos foram beneficiados pela embreagem na largada chuvosa, o que viola as regras do banimento do controle de tração.

"Durante as voltas que gastamos atrás do 'safety-car' antes da largada parada, sofremos um problema na embreagem que estava fora do nosso controle e vamos investigar. Temos que respeitar a FIA e o trabalho dos comissários, mas vamos apelar desta decisão porque confiamos nas nossas bases e evidências para mudar. Falaremos com a FIA em breve", declarou Fred Vasseur, chefe de equipe, no dia da corrida em Florianópolis, após a punição.

A decisão da FIA mantém os dois pontos conquistados por Hamilton, líder do campeonato com 296, e o 10.º lugar do polonês Robert Kubica, que conquistou o único Top 10 da Williams na temporada de 2019.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.