Alonso admite que ano de 2016 também será incógnita na McLaren

Fernando Alonso comemora o fim do doloroso ano com a McLaren-Honda. Mas admite que ainda há poucos motivos para sonhar com um 2016 melhor que 2015 na Fórmula 1. Mesmo assim, não desanima às vésperas da última corrida do ano, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Estadão Conteúdo

26 de novembro de 2015 | 15h41

"Neste momento, há um ponto de interrogação sobre onde estará a McLaren no próximo ano. Há muita expectativa dentro da equipe", diz o espanhol, que espera muito trabalho nas férias, no inverno europeu. "Com certeza temos grandes desafios pela frente neste inverno."

Alonso acredita ser difícil prever até se a McLaren terá condições de brigar por um lugar no pódio em 2016. "Trabalhamos bastante durante todo o ano, nos mantemos unidos nos momentos mais difíceis. Nosso principal objetivo é voltar ao lugar que pertencemos, ou seja, queremos ser competitivos", afirmou.

"Mas não sabemos se isso significa que vamos brigar pelas primeiras posições, se vamos lugar pelo campeonato. Não sei se vamos lutar por vitórias ou somente por pódios. Isso é muito difícil de prever num esporte tão complexo quanto o automobilismo", declarou.

As dúvidas, contudo, não abalam o bicampeão mundial de F1. "Eu continuo otimista. Estou muito, muito feliz e ansioso pelo próximo ano. Espero que seja uma temporada mais fácil que essa", diz o espanhol, que ocupa apenas a 16ª colocação no campeonato, após ser vice-campeão em três dos cinco anos em que defendeu a Ferrari nas últimas temporadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.