Alonso afirma que corrida pelo título ainda está aberta

Espanhol acredita que pilotos da McLaren e da Ferrari brigarão até o final pelo campeonato

Alan Baldwin, da Reuters,

23 de julho de 2007 | 11h57

O piloto espanhol Fernando Alonso, da McLaren, declarou que a corrida pelo título da Fórmula 1 está mais acirrada, principalmente depois que ele conseguiu diminuir a vantagem de seu companheiro de equipe Lewis Hamilton para apenas dois pontos após a corrida de domingo. O espanhol bicampeão do mundo foi quem mais se beneficiou no chuvoso e caótico GP da Europa, prova na qual o jovem Hamilton, de 22 anos, e o finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, saíram sem marcar nenhum ponto. Hamilton agora tem 70 pontos, seguido por Alonso, com 68. O brasileiro Felipe Massa, segundo no GP da Europa, está com 59, enquanto Raikkonen tem 52. "Não apostaria em nenhum piloto nas próximas sete corridas. Qualquer um pode vencer, pois as provas estão imprevisíveis", afirmou Alonso. Hamilton, que pareceu reunir o azar de toda a temporada em apenas uma corrida, disse que aprendeu mais durante a tarde de pesadelo em Nurburgring do que em suas nove corridas anteriores, em que chegou ao pódio em todas elas antes do GP de domingo. Ele destacou também que ainda lidera o campeonato, apesar de tudo que deu errado para ele, incluindo o pior acidente que já teve em sua carreira no treino de sábado. "Com sete corridas restando ainda há um longo caminho pela frente. Eu ainda lidero o campeonato mundial, o que é impressionante, considerando o péssimo final de semana que tive", disse ele aos repórteres. Audiência em Paris Na próxima quinta-feira, graças a eventos fora da pista, a situação pode mudar para os pilotos da McLaren. Todas as atenções estarão voltadas para Paris e a audiência da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) sobre o caso de espionagem envolvendo McLaren e Ferrari. A McLaren, que suspendeu o projetista chefe Mike Coughlan, é acusada de ter em sua posse documentos com informações técnicas da Ferrari que foram encontrados na casa de Coughlan. Se for declarada culpada por conduta fraudulenta, a punição pode colocar a perder tudo o que Alonso, Hamilton e a equipe fizeram até o momento. Especula-se desde a perda de pontos até a exclusão das corridas. A McLaren, que ampliou sua vantagem para a Ferrari de 25 para 27 pontos, afirma que não há nada em seu carro que possa ser creditado à Ferrari. Mas o time continua tenso com toda essa história.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Fernando Alonso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.