Luca Bruno/AP
Luca Bruno/AP

Alonso ataca ritmo da McLaren e Hamilton prevê bom duelo com a Ferrari no Bahrein

Piloto espanhol tem demonstrado ânimo em disputar as 500 milhas de Indianapolis pela primeira vez na carreira

Estadão Conteudo

13 de abril de 2017 | 18h50

Fernando Alonso não está otimista para o GP do Bahrein, marcado para o próximo domingo, no circuito de Sakhir, pela terceira etapa da Fórmula 1. Questionado nesta quinta-feira se sua decisão de disputar as 500 Milhas de Indianápolis, a mais importante corrida da Fórmula Indy, seria diferente se o seu carro fosse melhor, o espanhol da McLaren não pensou duas vezes.

"Se o carro fosse competitivo este ano e tivéssemos os mesmos 43 pontos dos outros dois pilotos (Sebastian Vettel e Lewis Hamilton), você não poderia correr o risco de desperdiçar 25 pontos e perder uma corrida. Então, provavelmente o sentimento fosse diferente se estivéssemos competitivos", admitiu Alonso, que não somou qualquer ponto nas duas primeiras corridas.

Leia Também

Guia da Fórmula 1

O desânimo de Alonso para o GP do Bahrein, por sua vez, contrastou com o ânimo de Lewis Hamilton. Líder da temporada ao lado de Sebastian Vettel, o piloto da Mercedes reconheceu que a equipe vive um bom momento. Ele previu, também, um excelente duelo com a Ferrari no circuito de Sakhir.

"Creio que a Ferrari tem demonstrado um ritmo excelente e, obviamente, acho que na primeira corrida, especialmente com pista limpa, eles foram muito, muito rápidos, particularmente na parte mais quente do circuito", enalteceu Hamilton, explicando sua preocupação com a corrida no Bahrein.

"Então, como aqui será uma corrida muito quente, acho que a diferença (entre a Mercedes e a Ferrari) será ainda mais próxima, ou pelo menos a mesma diferença que foi antes. Mas veremos", acrescentou.

Hamilton realçou, ainda, toda sua alegria com o desempenho da Mercedes nas duas primeiras corridas. "Até agora, estou feliz. E estou feliz de voltar ao Bahrein, um lugar com um clima muito bom. Está sendo uma grande temporada por enquanto. Estamos trabalhando muito e tentando manter as coisas nesse nível", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.