Alonso comemora terceiro lugar e exalta trabalho da Ferrari na Turquia

Bicampeão do Mundo conquistou o primeiro pódio da equipe italiana nesta temporada

AE, Agência Estado

08 de maio de 2011 | 16h13

O espanhol Fernando Alonso brigou até o fim, mas acabou perdendo a segunda colocação para o australiano Mark Webber, da Red Bull, no GP da Turquia de Fórmula 1, neste domingo. Mesmo assim, o piloto da Ferrari comemorou o terceiro lugar e apontou a evolução em seu carro desde a última prova, na China, há três semanas.

"Estou satisfeito com o resultado, que é uma amostra de três semanas de trabalho duro de toda a equipe em Maranello e na pista neste fim de semana. Não começamos o GP com o pé direito, após termos alguns problemas na sexta-feira, mas então andamos em frente e hoje foi ótimo poder voltar a lutar pelos primeiros lugares", declarou.

Alonso estava na segunda posição até a última parada no pit stop, a poucas voltas para o final, quando acabou sendo ultrapassado pelo piloto da Red Bull. "No final, o Webber me passou por ter tirado proveito de um novo jogo de pneus, enquanto eu não tinha mais nenhum. Sei que algumas pessoas estranharam minha parada nas últimas voltas, mas estava ficando difícil manter o carro na pista e havia um risco de arruinar tudo", afirmou.

O espanhol é o quinto colocado no Mundial de Pilotos, com 41 pontos, 52 atrás do líder Sebastian Vettel, vencedor da prova deste domingo, e havia tido uma quarta colocação, no primeiro GP, na Austrália, como melhor resultado.

"Já havíamos ficado muito perto do pódio na Malásia e na China e hoje (domingo) conseguimos este objetivo, mas é apenas o primeiro passo. Precisamos continuar nesta direção. Dado a forma que estávamos no início da temporada, este foi um grande resultado", concluiu.

Veja também:

link Vettel vence na Turquia e dispara na Fórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.