Alonso critica nível de pilotagem na Fórmula 1: 'Temos mais amadores aqui'

Alonso critica nível de pilotagem na Fórmula 1: 'Temos mais amadores aqui'

Espanhol teve que deixar corrida após toque com o canadense Lance Stroll, da Williams

Estadão Conteúdo

21 Outubro 2018 | 21h58

Em sua última temporada na Fórmula 1, o espanhol Fernando Alonso mais uma vez teve de abandonar uma corrida por ser atingido por um outro carro na pista. Neste domingo, logo na primeira volta do GP dos Estados Unidos, o piloto da McLaren viu o canadense Lance Stroll o acertar com sua Williams e acabar com seus planos em Austin.

A situação, como a que aconteceu no GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, no final de agosto, fez Alonso terminar o domingo "desapontado" com o nível de pilotagem da Fórmula 1.

"Eu não estou irritado. Estou desapontado porque já estou aqui nos Estados Unidos há nove dias para uma corrida e depois de 600 metros nessa corrida eles te empurram para fora dela", disse. "É assim que as coisas são, mas é um problema para a FIA resolver, se ela seguir permitindo esse tipo de pilotagem. Eu piloto em um outro campeonato (Mundial de Endurance) com pilotos teoricamente amadores e nunca tive problemas. Temos mais amadores aqui do que em outros campeonatos", afirmou.

As ironias do espanhol continuaram em sua entrevista coletiva logo após abandonar o GP dos Estados Unidos. "Talvez eles façam alguma coisa quando tivermos um grande acidente. Até lá, vamos seguir buscando diversão em um campeonato em que corro contra 34 carros, contra amadores, contra gente de 60 anos e nada acontece. Aqui precisamos de proteção, como em kart de aluguel, para poder bater uns nos outros", encerrou. Durante a corrida, Lace Stroll sofreu uma punição de cinco segundos cumprida em uma parada nos boxes.

Já nas horas seguintes ao fim do GP, os comissários da FIA apresentaram duas desclassificações. O francês Esteban Ocon, da Force India, e o dinamarquês Kevin Magnussen, da Haas, que haviam ambos terminado respectivamente no oitavo e nono lugares, tiveram resultados anulados.

Segundo o diretor-técnico Charlie Whiting, o fluxo de combustível da Force India de Ocon estava acima do nível permitido "pela maior parte da primeira volta" da corrida - o limite é de 100 kg/h. Já o piloto da Haas utilizou mais do que o limite de 105 kg de combustível durante o decorrer da prova.

Com as mudanças, o mexicano Sergio Pérez, da Force India, pulou para o oitavo lugar e o neozalandês Brendon Hartley, da Toro Rosso, e o sueco Marcus Ericsson, da Sauber, entraram na zona de pontuação em nono e 10.º lugares, respectivamente.

Confira como ficou a classificação final do GP dos Estados Unidos:

1.º - Kimi Räikkönen (FIN/Ferrari) - em 1h34min18s643, após 56 voltas

2.º - Max Verstappen (HOL/Red Bull) - a 1s281

3.º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes) - a 2s342

4.º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - a 18s222

5.º - Valtteri Bottas (FIN/Mercedes) - a 24s744

6.º - Nico Hülkenberg (ALE/Renault) - a 1min27s210

7.º - Carlos Sainz Jr. (ESP/Renault) - a 1min34s994

8.º - Sergio Pérez (MEX/Force India) - a 1min41s080

9.º - Brendon Hartley (NZL/Toro Rosso) - a 1 volta

10.º - Marcus Ericsson (SUE/Sauber) - a 1 volta

11.º - Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren) - a 1 volta

12.º - Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso) - a 1 volta

13.º - Sergey Sirotkin (RUS/Williams) - a 1 volta

14.º - Lance Stroll (CAN/Williams) - a 2 voltas

Não completaram a prova:

Fernando Alonso (ESP/McLaren)

Romain Grosjean (FRA/Haas)

Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull)

Charles Leclerc (MON/Sauber)

Esteban Ocon (FRA/Force India)*

Kevin Magnussen (DIN/Haas)*

* Desclassificados pela organização após a corrida

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.