Alonso desconversa sobre título

?Quando acordei pensei no café da manhã. Depois, em chegar ao autódromo. Depois, em treinar. Não pensei em título. Tenho de pensar em três corridas, não em uma?. Mais evasivo, impossível. Um terceiro lugar neste domingo no Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 dará o título da temporada a Fernando Alonso, mas o piloto da Renault escapou como pôde das perguntas de jornalistas de todo o mundo sobre o desfecho de um campeonato no qual demonstrou ter competência, regularidade e sorte: pontuou em 13 das 16 etapas do campeonato disputadas até agora. Venceu seis corridas e chegou em segundo em outras cinco. O terceiro lugar, resultado suficiente para lhe dar o título neste domingo, ele conseguiu em uma prova, o GP da Austrália, abertura da temporada.Sempre com os olhos fixos em um ponto, sem olhar para o entrevistador, Alonso enfrenta um batalhão de jornalistas escondendo os olhos sob a aba do boné. Responde a perguntas em inglês e espanhol. Concentrado, procura não cometer deslizes. A um insistente que faz uma última tentativa ? ?onde o campeonato acaba?? - ele diz poucas palavras: ?Na China, dia 16 de outubro?.Com uma folgada vantagem de 25 pontos (111 a 86) sobre o finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren, o único adversário que pode lhe tirar a honra de ser o campeão mundial mais jovem da história da Fórmula 1, Alonso, 24 anos completados no dia 29 de julho, demonstra uma única preocupação em Interlagos. ?Não posso deixar a McLaren se distanciar, essa é minha preocupação.?Como quase todos os pilotos, ele reclamou das ondulações, da sujeira da pista de Interlagos e da imprevisibilidade do tempo. Disse que a escolha dos pneus será fundamental para definir sua sorte na corrida. ?Em todo treino de sexta-feira eu fico entre os primeiros. Desta vez estou em 11.º. Tenho de fazer meu trabalho, testar o que puder e correr. Posso chegar em primeiro ou em vigésimo, por isso digo que tenho três corridas para definir o campeonato.?Alonso foi o terceiro mais rápido na primeira sessão de treinos livres, com 1min12s782, após dez voltas. Na segunda sessão andou mais, 29 voltas, mas despencou para o 11.º lugar, com 1m13s545.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.