Toru Hanai/Reuters
Toru Hanai/Reuters

Alonso diz que deixou de brigar pelo título em julho

Espanhol diz que Ferrari não conseguiu levar ajustes para pista e culpa também os pneus

Agência Estado

15 de outubro de 2013 | 09h54

MARANELLO - Com chances apenas matemáticas de conquistar o Mundial de Fórmula 1, o espanhol Fernando Alonso já começa a fazer um balanço de seu desempenho no ano, pensando na temporada de 2014. E para o piloto da Ferrari, a disputa pelo título foi perdida ainda em julho, muito antes da arrancada de Sebastian Vettel, que venceu as últimas cinco provas e está a um quinto lugar da conquista.

"Nosso problema foi o desenvolvimento, não nos adaptamos aos pneus e não demos os passos esperados", disse. "Nós chegamos em julho para as corridas com alguns bons ajustes no papel, mas não tanto na pista. Acho que isso freou um pouco a melhora que deveríamos ter em nossa performance", completou. Para Alonso, um fator fundamental para acabar com as chances de título foi a mudança nos pneus feita pela Pirelli após o GP da Inglaterra, ocorrido no dia 30 de junho. Na ocasião, os compostos sofreram degradação exagerada e muitos deles estouraram, o que resultou em algumas alterações. Segundo o piloto espanhol, a Ferrari, entre outras equipes, acabou prejudicada.

"A mudança da Pirelli foi um extra. Está claro que algumas equipes perderam um pouco de desempenho, e outros ganharam um pouco, como a Sauber. Mas a Pirelli fez a mudança porque os pneus estavam explodindo", comentou. "Então não foi uma decisão para beneficiar uma ou outra equipe. Foi uma mudança para continuar o campeonato, então não há nada a fazer."

Alonso é o único que pode tirar o quarto título mundial consecutivo de Vettel, mas já admitiu que o piloto da Red Bull ficará com a conquista mais uma vez. Com quatro corridas para o fim da temporada, Vettel está com 297 pontos, 90 a mais que Alonso. Uma quinta colocação na Índia, no próximo dia 27, dará o título antecipado ao alemão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.