Alonso diz que ele e Renault terão muito trabalho em 2008

Bicampeão reconhece que equipe francesa ainda está longe das rivais Ferrari e McLaren

Efe

02 de março de 2008 | 13h59

O piloto espanhol Fernando Alonso, da Renault, afirma em entrevista publicada neste domingo pelo jornal esportivo francês "L'Équipe" que ele e a escuderia terão "trabalho" pela frente e "muito o que aprender, descobrir e melhorar".   A exatamente duas semanas do Grande Prêmio da Austrália, etapa de abertura da temporada 2008 da Fórmula 1, Alonso reconheceu que, por enquanto, a Renault está "bem longe das escuderias de ponta" e disse que grandes resultados não devem ser esperados na primeira parte do campeonato.   O espanhol lembra que a Renault terminou 2007 entre um segundo e meio e dois atrás dos melhores, algo que, para o piloto, não será consertado em "três ou quatro meses".   Alonso comentou também que, diferentemente de 2006, quando deixou a Renault, a escuderia francesa vive atualmente uma "leve falta de confiança", ao contrário da "motivação e da segurança" que existiam anteriormente. Para o piloto, é necessário "reencontrar essa confiança".   "Não quero ver uma só pessoa relaxada nesta escuderia", afirmou Alonso, que disse achar "absolutamente" necessário que todos na Renault sigam "na mesma direção".   Perguntado sobre a "hostilidade" de alguns espectadores em relação ao piloto inglês Lewis Hamilton, da McLaren, há algumas semanas no circuito da Catalunha, Alonso disse que fica difícil fazer comentários sobre o ocorrido já que não viu nem ouviu nada pessoalmente.   Mesmo assim, disse que esses torcedores fazem parte de uma "minoria" e que o incomoda o fato de que "essa gente" seja ligada ao público espanhol como um todo.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Fernando AlonsoRenault

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.