Alonso diz que era impossível superar Hamilton

O espanhol Fernando Alonso exaltou a evolução da Ferrari após o segundo lugar no GP da Alemanha e avaliou que era impossível superar o inglês Lewis Hamilton, da McLaren, que assumiu a liderança na largada depois de ultrapassar o pole position Mark Webber, da Red Bull. Alonso chegou a assumir a ponta após o segundo pit stop, mas Hamilton o ultrapassou com facilidade.

AE, Agência Estado

24 de julho de 2011 | 15h05

"Hoje, Hamilton foi mais rápido, ele e a equipe foram muito bem: quando eu estava atrás dele eu dei o máximo que pude, mas eu não conseguia chegar muito perto. Mesmo que eu tenha saído na frente dele no segundo pit stop, eu não tinha absolutamente nenhuma aderência e ele conseguiu me passar em seguida e então de imediato construiu uma vantagem de alguns segundos", disse.

Alonso, porém, mostrou estar satisfeito com o desempenho da Ferrari e lembrou que teve rendimento melhor do que os carros da Red Bull, que dominaram completamente o início da temporada 2011 da Fórmula 1. "Hoje, fomos claramente superiores aos carros da Red Bull em termos de desempenho e isso é importante, dado como estávamos no início do campeonato. Isso não significa que será igual nas próximas corridas, mas a situação está voltando ao normal", afirmou.

Para o espanhol, é fundamental que a Ferrari melhore o seu desempenho nos treinos de classificação para que ele possa lutar por mais vitórias. "Depois de um segundo lugar como este, é fácil dizer que poderia ter sido melhor, mas estou satisfeito mesmo assim. Temos de melhorar na classificação, porque temos um ritmo de corrida muito forte e eu não penso que haja qualquer dúvida sobre isso. Tudo correu bem hoje: o início, os pit stops e a estratégia. Ainda nos falta alguma coisa aos sábados, porque ontem tivemos 3 ou 4 décimos de distância, mas estou confiante de que também posso melhorar nisto", comentou.

Com o resultado do GP da Alemanha, Alonso está na quarta colocação no Mundial de Pilotos, com 130 pontos, 86 atrás do líder Vettel. O espanhol garantiu que ainda não pensa na luta pelo título. "Eu não estou pensando nisso, mas se há uma possibilidade, depende sempre de terminar no pódio na esperança de que Vettel não faça o mesmo", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.