Alonso e Felipe Massa discutem depois da vitória do espanhol

Após toque nas voltas finais da corrida, espanhol e brasileiro trocam acusações após o GP da Europa

22 de julho de 2007 | 12h31

A vitória de Fernando Alonso no GP da Europa deste domingo aconteceu graças à uma bela manobra à cinco voltas do fim. Sobre piso molhado, o espanhol da McLaren superou Felipe Massa, da Ferrari, mas o brasileiro dificultou bastante a manobra e os carros chegaram a se tocar. "Ele estava no lado de fora e eu pelo lado de dentro. Isto aconteceu outras duas vezes e tive que recuar, mas no final consegui vencer", comemorou o bicampeão.   Ao chegar ao box, Alonso aponto para a lateral do carro, mostrando a marca da batida e fazendo um sinal de negativo. A bronca do espanhol chegou até a ante-sala do pódio, quando ele encontrou com Massa. "Esta não é a primeira vez que você faz isso", disse o espanhol.   Os ânimos ficaram mais exaltados e alguns membros das duas equipes afastaram os pilotos antes que a discussão ficasse mais ríspida. Ironicamente, Alonso se virou para a câmera de TV e comemorou, novamente, com punho cerrado a vitória. O brasileiro limitou-se a observar e sorrir.   Mais tarde, já na entrevista coletiva, Massa lembrou que esta não foi a primeira vez que se estranhou com Alonso na pista e desdenhou as declarações do espanhol. "Tivemos uma disputa parecida no GP da Espanha [quando o brasileiro venceu o duelo e a corrida] e agora aconteceu a mesma coisa. Se ele não gostou da manobra, o problema não é meu."   Alonso diz gostar de provas confusas   Se o final da corrida foi emocionante para Alonso, o mesmo não se pode dizer do seu desempenho na maior parte dela. O espanhol fez uma prova discreta e soube atacar apenas no momento decisivo. "Foi uma vitória incrível e fantástica, desde a largada, com toda aquela chuva. Depois a pista secou, o Felipe escapou e nas voltas finais, com a volta da chuva, consegui encostar nele, ultrapassar e vencer."   "Sempre gostei de corridas com condições climáticas adversas e a vitória foi boa por que Lewis e Hamilton não terminaram. Esta foi uma corrida importante para mim e nunca se sabe o que poderá acontecer daqui a 15 dias, na Hungria. Será um campeonato apertado", previu o espanhol.   Massa lamenta chuva no fim   O que parecia ser uma vitória tranqüila para Massa se transformou em um pesadelo nas últimas dez voltas. "A largada foi boa e consegui me manter na pista mesmo com toda aquela água na primeira volta. Depois da chuva, fiz uma boa corrida, até começar a chover novamente. Aí Alonso encostou, e fiquei surpreso com seu desempenho no final, quando ele conseguiu me ultrapassar."   "A prova foi boa, com boas paradas de box e boa tática. Só tive um pouco de azar no final, quando começou a chover novamente. Troquei os pneus e tive problemas de vibração. Aí Alonso encostou e conseguiu ultrapassar", lamentou o brasileiro. Winkelhock lidera na estréia Quando as câmaras focalizaram o líder do GP da Europa, depois de no fim da primeira volta vários pilotos entrarem nos boxes para substituir os pneus de asfalto seco pelos de chuva, a sala de imprensa e provavelmente milhões de pessoas no mundo todo riram. Era Markus Winkelhock, alemão, estreante, e o mais lento em todos os treinos em Nurburgring. "Quero agradecer meu time (Spyker) por me permitir largar já com pneus de chuva intensa." Foi o único que arriscou e deu-se muito bem. "Liderar já na primeira vez que se está na Fórmula 1 é uma conquista que ninguém irá tirar de você, para o resto da vida", comentou o piloto que sabe que não deverá continuar na Spyker. No início da terceira volta, quando o volume de água tornou-se irreal para uma competição de automóveis, sete pilotos seguiram reto na freada na curva 1, no fim da reta: Jenson Button, Honda, Adrian Sutil, Spyker, Nico Rosberg, Williams, Scott Speed e Vitantonio Liuzzi, Toro Rosso, Anthony Davidson, Super Aguri, e Lewis Hamilton, McLaren. Os dois últimos conseguiram retornar à corrida. Hamilton depois de ser içado pelo guindaste. Permaneceu no cockpit, com o motor funcionando. O australiano Mark Webber, da Red Bull, completou o pódio na terceira colocação, enquanto o valente Alexander Wurz, da Williams, foi quarto e Rubens Barrichello, profundamente irritado com o carro da Honda, 11º. (Com Lívio Orícchio, do Estadão)

Tudo o que sabemos sobre:
Fernando AlonsoFelipe MassaFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.