Alonso e Raikkonen dizem que vão se dar bem na Ferrari

O finlandês Kimi Raikkonen e o espanhol Fernando Alonso garantiram nesta quinta-feira que vão cooperar como companheiros de equipe da Ferrari na próxima temporada, apesar de muitos estarem prevendo atritos entre dois campeões mundiais que estão acostumados com a condição de piloto número 1 das suas escuderias.

AE-AP, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 10h30

Os dois pilotos concederam nesta quinta-feira, em Cingapura, a primeira entrevista coletiva desde que a Ferrari anunciou ter assinado com Raikkonen para as duas próximas temporadas da Fórmula 1, em substituição ao brasileiro Felipe Massa. O finlandês disse que ele e Alonso estão maduros o suficiente para conseguir resolver os problemas que possam surgir.

"Eu não vejo a razão pela qual não iria funcionar", disse Raikkonen. "Estamos todos com idade suficiente para saber o que estamos fazendo. Se houver alguma coisa, estou certo de que podemos resolver completamente. Não somos caras de 20 anos. Eu posso estar errado, mas o tempo dirá. Com certeza haverá luta dura nas pista, e às vezes as coisas dão errado, mas eu tenho certeza que vão ficar bem".

Alonso disse que foi informado da contratação de Raikkonen pela Ferrari, e deu sua bênção, por isso não consegue entender as muitas previsões de problemas entre os dois. "Vocês continuam a escrever essas coisas, que são exatamente as mesmas de quando eu cheguei aqui, com as pessoas dizendo que seria um desastre com Felipe, e depois de quatro anos, ele é um dos melhores amigos que tenho aqui", disse Alonso.

Chefe da Ferrari, Stefano Domenicali afirmou que as previsões de atrito entre os dois são motivadas por ciúmes das outras equipes. "Talvez eles tenham medo, porque somos fortes", disse Domenicali, acrescentando que isto é "parte do jogo, parte da guerra psicológica desse ambiente". Domenicali também elogiou Massa por aceitar sua saída "com uma serenidade que mostrou que não é comum neste mundo".

Raikkonen disse que problemas financeiros da equipe Lotus são parte da razão dele ter optado pela Ferrari. "As razões que deixei a equipe são financeiras", disse o finlandês. "Eu não tenho o meu salário, é uma coisa lamentável".

No momento da sua saída da Ferrari em 2009, abrindo caminho para a chegada de Alonso, houve relatos de que a Ferrari estava insatisfeita com a pouca atenção dada por Raikkonen ao desenvolvimento do carro e com a falta de entusiasmo com ações de marketing, mas Raikkonen refutou isso. "Há um monte de histórias do meu passado em outras equipes, mas é tudo de vocês (imprensa)", disse Raikkonen. "Na verdade, eu nunca tive problemas com eles".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.