Reprodução
Reprodução

Após sair de treino, Alonso mostra bom humor em Interlagos

Espanhol rouba cena no classificatório após deixar prova no começo

Almir Leite, O Estado de S. Paulo

14 Novembro 2015 | 14h51

Fernando Alonso não para de sofrer com a carroça que a McLaren lhe deu para competir nesta temporada da Fórmula 1, muito culpa do péssimo motor da Honda. Mas pelo menos está conseguindo controlar a irritação e tratar com bom humor, e grande dose de sarcasmo, os problemas que enfrenta cada vez que vai à pista. Exemplo disso, ocorreu no treino oficial para o GP do Brasil, na tarde deste sábado. O espanhol sequer conseguiu completar uma volta, mas não perdeu o rebolado. Ao contrário, deu um show.

Logo depois de entrar na pista, Alonso recebeu o aviso pelo rádio: "Pare imediatamente, pare imediatamente!''. Assim o fez. Estacionou a McLaren junto ao guardrail, e passou a transformar o limão numa limonada. Ao encaminhar para o boxe, encontrou uma cadeira pelo caminho. Sentou-se nela, tirou o capacete, acenou para a torcida e pôs-se a observar o treino, ignorando pedido de um fiscal para que se retirasse.

Pouco depois, as imagens da TV focalizaram Alonso, ainda sentado e com as pernas esticadas, de olhos fechados e expressão de que estava meditando, com o capacete "depositado'' no chão ao seu lado.

O bicampeão só se levantou ao fim da primeira parte do treino. Estava eliminado, assim como o seu companheiro de equipe, Jenson Button. Enfim, decidiu ir para o boxe. Não sem antes pegar Button e dar uma passadinha no pódio de Interlagos, onde posaram para fotos - Alonso imitando o gesto de quem venceu a corrida.

O espanhol fez apenas 11 pontos nesta temporada, o máximo que conseguiu foi um quinto lugar na Hungria, e vinha detonando a McLaren e, principalmente o motor Honda, que no México ele disse que parecia um propulsor de carro da GP2.

Mas, no Brasil, o espanhol decidiu trocar a raiva pelas piadas, embora não deixasse de lado um tom de crítica. Na sexta-feira, quando também ficou pelo caminho no treino livre e sentou-se desolado no guardrail, onde ficou praticamente imóvel por vários minutos, voltou aos boxes com um sorriso, irônico, nos lábios. E, ao ser questionado sobre mais uma quebra de motor, disparou: "Tomará que a gente tenha problemas na classificação, na corrida e também em Abu Dabi (última etapa do campeonato). Mas que não tenhamos problemas em 2016'', disse, já sinalizando que não manterá o bom humor se os problemas continuarem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.