Alonso exalta largada e mantém otimismo no Mundial

O fato de ter terminado o GP da Espanha uma volta atrás do vencedor Sebastian Vettel não desanimou Fernando Alonso para a continuidade do Mundial de Fórmula 1. O piloto espanhol exaltou a ótima largada que teve neste domingo, na qual saltou do quarto para o primeiro lugar, e manteve o otimismo, apesar de agora estar 68 pontos atrás do piloto alemão da Red Bull.

AE, Agência Estado

22 de maio de 2011 | 16h02

"A melhor parte da corrida foi, obviamente, a largada. Trabalhamos muito nesta área e você pôde ver o resultado. Foi fantástico ver a torcida vibrando nas arquibancadas. Tentei fazer o máximo, mantendo os pilotos mais rápidos atrás de mim por 20 voltas, mas, depois daquele momento, não havia nada a fazer", afirmou Alonso, que lamentou a queda de desempenho que sofreu depois de colocar pneus duros em sua Ferrari.

"Ao colocar os pneus duros, passei a ser dois e até três segundos mais lento que

Sebastian e Lewis (Hamilton)", acrescentou, para depois admitir a frustração por não ter conseguido acompanhar o ritmo dos seus adversários.

"Foi muito estressante vê-los preenchendo meus retrovisores o tempo inteiro, e tentamos ao máximo copiar ou antecipar o que eles faziam. Isso significa que eu passei metade da corrida com pneus duros, o que nos puniu fortemente e tornou a diferença maior do que é na realidade", analisou.

Em seguida, Alonso lembrou que no ano passado a Ferrari chegou a ser excluída do grupo de favoritos ao título e depois entrou na última prova do campeonato com o espanhol ostentando as maiores chances de ser campeão, apesar de Vettel ter triunfado. "Não vamos desistir nunca. No ano passado nos colocavam fora da disputa pelo título enquanto na etapa final éramos nós os virtuais campeões."

"Agora, vamos imediatamente para Mônaco, que é uma corrida especial no calendário. Tudo pode acontecer por lá. Claro, sabemos que a quantidade de força aerodinâmica necessária para esta pista é a maior do ano, mas foi o caso também ano passado e fomos competitivos. Definitivamente, não estou pensando em desistir do campeonato depois de cinco corridas. A diferença na classificação é muito grande, mas tudo ainda pode acontecer. Tenho certeza disso", encerrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.