Andrej Isakovic / AFP
Andrej Isakovic / AFP

Alonso foi atropelado por mulher de 42 anos, detalha polícia suíça; piloto diz estar bem

Espanhol precisou passar por cirurgia maxilo-facial, que foi bem-sucedida, e se recupera em Berna

AFP, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2021 | 18h21

A polícia do cantão de Ticino, região do sul da Suíça onde o piloto Fernando Alonso sofreu um acidente de bicicleta na quinta-feira (11) e sofreu uma fratura do maxilar, deu detalhes sobre o acidente e informou que o bicampeão mundial de Fórmula 1 foi atropelado por uma mulher de 42 anos. Em mensagem postada nas redes sociais na sexta, o espanhol da Alpine disse estar bem e ansioso para voltar à principal categoria do automobilismo.

"Obrigado por todos os desejos, estou bem e me sentindo ansioso para começar 2021. Vamos!", escreveu Alonso no Twitter, respondendo a uma postagem da sua equipe. Alonso é dúvida para os testes de pré-temporada, previstos para ocorrerem no Bahrein entre 12 e 14 de março, e mesmo para o primeiro GP da temporada, que será no país árabe em 28 de março.

Segundo o relatório policial, o acidente ocorreu na cidade de Lugano, quando Alonso, que estava dirigindo pelo lado direito, foi cortado pelo carro da mulher, que estava virando à esquerda para entrar no estacionamento de um supermercado.

Alonso estava passando à direita uma fila de veículos no mesmo sentido que o seu quando colidiu com o lado direito do veículo envolvido. Após o acidente, agentes da polícia cantonal, da polícia municipal e operacionais da Cruz Verde de Lugano estiveram no local. Alonso foi levado para um hospital local e depois para Berna, a capital suíça, onde foi submetido hoje a uma cirurgia maxilo-facial.

A Alpine, equipe pela qual o espanhol voltará à Fórmula 1 após 2 anos, informou que a operação foi bem sucedida e que Alonso permanecerá sob observação no por 48 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Fernando AlonsoRenault

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.