Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

Alonso lamenta ausência, mas aprova a decisão dos médicos

Piloto da McLaren aceita recomendação e já prevê prova na Malásia

Estadão Conteúdo

03 Março 2015 | 12h53

Horas depois de a McLaren anunciar que Fernando Alonso não vai participar da prova de abertura da temporada 2015 da Fórmula 1, o GP da Austrália, ainda como um efeito do acidente sofrido por ele durante a pré-temporada, o espanhol usou as redes sociais para lamentar a sua ausência em Melbourne, na corrida marcada para 15 de março. Ele, porém, garantiu entender a cautela dos médicos.

"Será difícil não estar na Austrália, mas entendo as recomendações. Um segundo impacto em menos de 21 dias, não. Contagem regressiva para a Malásia", escreveu Alonso em seu perfil no Twitter, rede de microblogs na internet, destacando a previsão de que deve participar da segunda prova da temporada 2015 da Fórmula 1, o GP da Malásia, que será em 29 de março. 

Alonso sofreu um forte acidente em 22 de fevereiro, em Barcelona, no último dia da segunda semana de testes da pré-temporada da Fórmula 1, ficando por algumas noites internado em um hospital. O espanhol sofreu uma concussão em razão da batida e, apesar do próprio piloto e da McLaren garantirem que ele se recupera bem, Alonso não participará da primeira prova de 2015 por precaução, seguindo orientação médica, para evitar o risco de uma nova concussão.

Na semana passada, em uma entrevista em Barcelona, Ron Dennis, o presidente da McLaren, evitou garantir a presença de Alonso no GP da Austrália, mesmo ressaltando que o espanhol estava se recuperando bem, destacando que ele havia ficado de fora dos últimos testes da pré-temporada da Fórmula 1 somente por precaução. E o próprio Alonso divulgou um vídeo em que se declarava "completamente bem". 

Agora, porém, a sua ausência em Melbourne está confirmada. Assim, a reestreia de Alonso pela McLaren, equipe pela qual competiu em 2007, está adiada. E o espanhol será substituído pelo dinamarquês Kevin Magnussen, que vai formar a dupla de pilotos da equipe com o inglês Jenson Button no GP da Austrália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.