Alonso mira triunfo na Hungria para coroar mês 'crucial'

Disparado na liderança do Mundial de Fórmula 1, com 154 pontos, o espanhol Fernando Alonso agora espera finalizar o julho vencedor que vive na categoria com uma vitória no próximo domingo, no GP da Hungria, em Budapeste. O piloto da Ferrari foi o segundo colocado na prova da Inglaterra, em Silverstone, no último dia 8, e no domingo passado faturou a corrida realizada na Alemanha, em resultado que o deixou com 34 pontos de vantagem sobre o australiano Mark Webber, da Red Bull, atual vice-líder do Mundial.

AE-AP, Agência Estado

25 de julho de 2012 | 12h53

Grande nome do bom momento vivido pela Ferrari, que iniciou o campeonato deste ano com um carro considerado muito ruim pela própria dupla titular da equipe, Alonso destacou nesta quarta-feira o fato de que conseguiu conquistar quase todos os pontos em disputa neste mês de julho, mas garante ainda não estar totalmente satisfeito com os feitos atingidos neste mês.

"Eu disse que o mês de julho seria crucial, com 75 pontos em disputa em quatro semanas, e até agora nós (ele e a equipe) trouxemos para casa 43", enfatizou o espanhol, para depois completar: "Então vamos tentar finalizar o trabalho na Hungria".

Em Valência, Alonso se tornou o primeiro piloto a ganhar duas provas nesta temporada, que teve o início mais equilibrado da história da F1, e comprovou a grande fase que vive ao ganhar o GP da Alemanha. Apesar disso e da vantagem considerável que acumulou na ponta, o espanhol descartou qualquer acomodação e garantiu estar sedento por uma nova vitória no próximo domingo.

"Eu não quero que ninguém venha para a Hungria melhor preparado do que eu, fisicamente ou mentalmente, ou mais motivado do que eu", ressaltou. "Espero ir bem em Budapeste e não há razão para ser pessimista. Entretanto, não estou esquecendo de que Red Bull e McLaren foram mais rápidas (no GP da Alemanha)", reforçou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.