Alonso pode ser campeão já na Turquia

A primeira pergunta que provavelmente Flavio Briatore, diretor da Renault, fez à equipe, neste domingo, foi: "Fernando Alonso pode ser campeão já na próxima etapa do Mundial?" No GP da Hungria, domingo, não. Mas na prova seguinte, Turquia, dia 21, dependendo do que ocorrer em Budapeste, a resposta é sim. O piloto da Renault tem, depois de 12 corridas, 87 pontos, enquanto seus mais diretos concorrentes, Kimi Raikkonen, McLaren, 51, e Michael Schumacher, Ferrari, 47.Mesmo que vença na pista húngara, somando 97 pontos (87 + 10) e Raikkonen não marque pontos, não definiria a conquista. A diferença entre ambos seria de 46 pontos (os 36 desta corrida mais 10)e haveria em disputa, nas seis etapas restantes, 60 pontos. Já a hipótese de Alonso tornar-se o mais jovem campeão do mundo da história - completará 24 anos sexta-feira - em Istambul é possível, embora pouco provável.Alonso teria, por exemplo, de ser primeiro em Budapeste, chegando a 97 pontos, e no mínimo 5.º na Turquia, ou seja, acrescentar mais 4 pontos e atingir 101. Mais: torcer para Raikkonen não marcar pontos nas duas corridas, Hungria e Turquia, e Schumacher fazer no máximo 4 pontos. O alemão tem 47 e com os 4 pontos chegaria a 51. Como restariam cinco etapas ainda, Itália, Bélgica, Brasil, Japão e China, se vencesse todas somaria no máximo 101 pontos (51+50), o mesmo de Alonso, mas o espanhol ficaria com o título por ter maior número de vitórias: já são 6 diante de 1 de Schumacher.Outra combinação que leva o piloto da Renault a ser campeão é classificar-se em 2.º na Hungria e 3.º na Turquia, Raikkonen não pontuar e Schumacher fazer no máximo 4 pontos. Nesse caso atingiria os mesmos 101 pontos (87+8+6). Há outra hipótese, menos radical, que também leva Alonso a festejar com sua imensa torcida em Oviedo, Espanha: basta terminar as 7 etapas que faltam em 4.º lugar, independentemente do que conseguir Raikkonen.A 4.ª colocação somaria para Alonso 5 pontos, como são 7 provas, obteria, no total, 35 pontos, o que adicionado aos seus 87 deste domingo daria 122 pontos. Mesmo que o finlandês da McLaren vencesse as 7 etapas, acrescentaria 70 pontos aos seus 51 e atingiria 121, um a menos. Em resumo, a vitória no GP da Alemanha e o abandono de Raikkonen deixa o asturiano da Renault em boas condições de celebrar seu primeiro título até mesmo antes do seu circuito favorito, Spa-Francochamps, dia 11 de setembro, na Bélgica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.