Andrej Isakovic / AFP
Andrej Isakovic / AFP

Alonso rejeita oferta da McLaren para comprar vaga no grid das 500 Milhas

Espanhol não conseguiu se classificar para a corrida do próximo domingo na pista

Redação, Estadão Conteúdo

20 de maio de 2019 | 14h37

A McLaren se ofereceu para comprar um lugar para Fernando Alonso no grid das 500 Milhas de Indianápolis, mas o bicampeão da Fórmula 1 disse à equipe que ele se sentiria desconfortável substituindo um piloto que conquistou pelos seus méritos o direito de participar da tradicional corrida da Fórmula Indy.

Alonso, com um carro da McLaren, não conseguiu se classificar para a corrida do próximo domingo, algo considerado uma humilhação para uma das mais tradicionais equipes do automobilismo. O espanhol buscava ganhar a tríplice coroa do automobilismo, sendo que lhe faltava apenas triunfar nos 500 Milhas, pois já ganhou as 24 Horas de Le Mans e o GP de Mônaco. E a McLaren estava de volta para as 500 Milhas pela primeira vez desde a que dominou na década de 1970.

O CEO da McLaren, Zak Brown, afirmou à agência de notícias The Associated Press (AP) que a equipe não iria comprar uma vaga no grid das 500 Milhas. Já Bob Fernley, presidente de operações da Indy da equipe, foi demitido após Alonso não conseguir se classificar para a corrida.

Após o fracasso, a equipe realizou sondagens sobre a possibilidade de comprar um dos 33 postos do grid das 500 Milhas. Brown declarou que Alonso inicialmente apoiou a McLaren nessa tentativa, por avaliar que seria a decisão comercial certa para satisfazer as obrigações dos patrocinadores. Porém, ao entender que isso significaria substituir outro piloto e competir por outra equipe, o espanhol declarou que não estaria confortável com essa opção.

Uma possibilidade que a McLaren teria avaliado seria o lugar de Oriol Servia, da Arrow Schmidt Peterson Motorsports, porque a equipe britânica já tem uma parceria com a Arrow.

"Fernando não fez nada errado, ele precisava estar na corrida e devia estar na a corrida e nós temos muitos parceiros que gostariam de estar na corrida", disse Brown, à AP, nesta segunda-feira. "Nós compramos um lugar para ele? Bem, ele disse: 'Eu sei o que custa para entrar nesta corrida, não parece certo para mim tomar o lugar de outro piloto porque minha equipe comprou a vaga'. Há muito orgulho em Fernando e na McLaren".

O fracasso da McLaren é um dos maiores da história das 500 Milhas, mas não o único. Em 1995, Al Unser Jr. e Emerson Fittipaldi não conseguiram se classificar para a prova, assim como Bobby Rahal em 1993, sendo que um ano antes ele havia sido campeão da Fórmula Indy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.