Vivek Prakash/Reuters
Vivek Prakash/Reuters

Alonso vence o GP de Cingapura e entra na briga pelo título da Fórmula 1

Vitória deixa espanhol na vice-liderança do Mundial; Vettel é 2.º e o líder Webber é o 3.º

TERCIO DAVID - estadão.com.br

26 Setembro 2010 | 11h00

SÃO PAULO - Alheio às confusões da corrida, Fernando Alonso, da Ferrari, venceu o GP de Cingapura, disputado neste domingo, no circuito de rua de Marina Bay, e entrou de vez na briga pelo título da Fórmula 1. Sebastian Vettel, da Red Bull, terminou em segundo, seguido pelo líder do campeonato, Mark Webber, também da Red Bull. Segunda vitória seguida do espanhol e a quarta no ano.

Veja também:

link Webber minimiza toque em Hamilton em Cingapura

link Hamilton diz que batida com Webber foi acidente de corrida

link Sutil é punido, e Massa sobe para 9.º em Cingapura

mais imagens Imagens do GP de Cingapura

O GP de Cingapura novamente ficou marcado por polêmica, agora envolvendo os postulantes ao título. Enquanto Webber conseguiu um importante pódio, Lewis Hamilton, da McLaren, abandonou após tocar rodas com o Red Bull do australiano, o que acabou lhe custando a vice-liderança.

Com o resultado, Webber manteve a liderança, agora com 202 pontos. Alonso assumiu a vice-liderança, com 191, e Hamilton, agora em terceiro, seguiu com 182 pontos. Vettel, com 181, é o quarto, e Jenson Button (McLaren), quarto na corrida, com 177 pontos, é o quinto no Mundial.

Brasileiros. Assim como aconteceu nos treinos, Rubens Barrichello, da Williams, foi bem, dentro dos limites de seu carro, e terminou em sexto. Felipe Massa, em franca corrida de recuperação, conseguiu ser nono, depois de largar em último, graças a punição de Adrian Sutil, da Force India, aplicada após a corrida.

Sofrendo com o fraco desempenho de seu carro, Lucas di Grassi, da Virgin, completou a corrida em 15.º, o peúltimo entre os que terminaram. Bruno Senna, vítima de uma batida de Kamui Kobayashi (Sauber) no muro, acabou abandonado com seu HRT.

Só faltam quatro. A próxima etapa da Fórmula 1, que entra em sua fase final de campeonato, acontece no dia 10 de outubro, em Suzuka, no Japão. Completam o Mundial 2010, Coreia do Sul, Brasil e Abu Dabi.

Domínio e tática. Na largada, Alonso assumiu a ponta, deixando o pole Vettel em segundo, Hamilton em terceiro, Button em quarto e Webber em quinto. Robert Kubica (Renault) e Nico Rosberg (Mercedes) completaram os sete primeiros. Cauteloso, Barrichello caiu do sexto para o oitavo lugar na partida.

Apostando numa estratégia diferente, como largou na última posição do grid, Massa fez o pitstop obrigatório logo na primeira volta. O brasileiro ainda deu sorte com o safety car que entrou na pista logo na quarta volta, por causa do Force India de Vittantonio Liuzzi que ficou parado com a suspensão quebrada.

A entrada do safety car voltou a embaralhar as cartas, com muitos carros entrando no box para fazer as parada obrigatória, inclusive líder do campeonato Webber, mudando a sua estratégia da corrida. No entanto, os sete primeiros seguiram sem trocar.

Na relargada, na sexta volta, os lideres da corrida mantiveram as posições. Webber, na batalha após cair para 10.º, recuperou duas posições antes mesmo do final da sétima passagem.

Na 11.ª volta, Webber passou Michael Schumacher para assumir a oitava posição, apenas 20s8 atrás do líder Alonso, um dos que não haviam parado no momento da bandeira amarela. Apostando na tática, o australiano diminuiu um pouco o ritmo, passando a seguir o sétimo colocado Barrichello de perto, mas sem ameaçar. Mantendo o trem de corrida do brasileiro, o australiano acabou ficando para trás com relação aos líderes Alonso e Vettel, mas se manteve relativamente próximo dos demais adversários à frente.

A aposta de Webber deu certo quando, a partir da volta 29, os líderes foram para o box para trocar os pneus.

Também graças à bandeira amarela provocada pela batida de Kamui Kobayashi (Sauber), e o consequente congestionamento dos líderes nos boxes, Webber chegou ao terceiro lugar já na volta 32 e em condições de lutar pela vitória, já que o líder Alonso e o segundo colocado Vettel estavam logo à frente.

Polêmica. No entanto, quem estava atrás de Webber era Hamilton. Após a relargada, o inglês fez bela manobra e conseguiu botar meio carro na frente do australiano no momento da freada para a curva fechada. Os bólidos se tocaram e o piloto da McLaren sobrou, sendo obrigado a abandonar com a suspensão traseira quebrada.

Já com o dia ganho, Webber limitou-se a terminar a corrida e a assistir o duelo entre Alonso e Vettel, que durou até a volta final, mas que não mudou o resultado do GP de Cingapura.

Banzai. Na volta 31, Kobayashi resolveu animar ainda mais a corrida. O japonês disputou freada e jogou Schumacher para fora da pista no final da reta oposta. Na passagem seguinte, sozinho, ele rodou na entrada da ponte, bateu no muro e acabou sendo atingido, na sequência, por Bruno Senna, que não conseguiu desviar. O brasileiro deixou o carro esbravejando com o adversário.

Schumacher, aliás, também resolveu aprontar. Na volta 37, em disputa com o outro Sauber, tirou Nick Heidfeld da corrida após tocar rodas com o compatriota alemão em duas curvas seguidas.

Punição. Sutil foi punido com o acréscimo de 20 segundos em seu tempo final por ter cortado caminho na curva 7 logo na primeira volta da corrida. Com a decisão dos fiscais da prova, ele caiu da oitava para a décima colocação, sendo superado por Massa e também pelo compatriota Nico Hulkenberg, da Williams.

Classificação do GP de Cingapura:

1.º - Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 1h57min53S579

2.º - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 0s293

3.º - Mark Webber (AUS/Red Bull), 29s141

4.º - Jenson Button (ING/McLaren), 30s384

5.º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 49s394

6.º - Rubens Barrichello (BRA/Williams), 56s101

7.º - Robert Kubica (POL/Renault), 1min26s559

8.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), 1min53s297

9.º - Adrian Sutil (ALE/Force India), 1min52s416 (punido) *

10.º - Nico Hulkenberg (ALE/Williams), 1min52s791 (punido) **

11.º - Vitaly Petrov (RUS/Renault), 1 volta

12.º - Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso), 1 volta

13.º - Michael Schumacher (ALE/Mercedes), 1 volta

14.º - Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 1 volta

15.º - Lucas Di Grassi (BRA/Virgin), 2 voltas

16.º - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus), 3 voltas

Não completaram a prova:

Timo Glock (ALE/Virgin)

Nick Heidfeld (ALE/Sauber)

Lewis Hamilton (ING/McLaren)

Christian Klien (AUS/Hispania)

Kamui Kobayashi (JAP/Sauber)

Bruno Senna (BRA/Hispania)

Jarno Trulli (ITA/Lotus)

Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India)

* Punido com o acréscimo de 20 segundos ao tempo final por ter cortado a curva 7.

** Punido como o acréscimo de 20 segundos ao tempo final por ter cortado a curva 7.

(Atualizado às 16h15)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.