Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

Aos 21 anos e campeã, Ana Carrasco sonha com elite da motovelocidade

Espanhola acredita que mulheres podem competir de igual para igual com homens em esportes a motor e usa sua trajetória como exemplo de sucesso

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2019 | 04h31

Com apenas 21 anos, Ana Carrasco surpreendeu o mundo da velocidade ao conquistar o mundial de Supersport300, uma categoria de acesso para a Superbike. Ela acredita que seu título, em uma competição dominada por homens, abre portas para que mais mulheres decidam entrar no esporte.

“As oportunidades podem surgir para todo mundo. Temos que tentar mostrar às pessoas que uma mulher pode ganhar também”, disse a espanhola, que passou a ser vista de outra forma entre os pilotos após o título.

Ambiciosa, ela acredita que possa chegar à elite da motovelocidade. “Quero correr na MotoGP ou na Supersport e vejo como algo bem possível. Sou jovem e tenho muitos anos para evoluir. Acho que em quatro ou cinco anos eu realizo meu objetivo”, projetou.

Em maio, começa a Fórmula W Series, uma categoria de corridas de carros exclusivamente feminina. Embora seja craque na moto, Carrasco aprova a ideia como forma de incentivar as mulheres na prática dos esportes a motor. A espanhola, porém, prefere se manter na briga entre os homens.

“Acredito que, se apostarem em uma mulher e lhe darem uma boa equipe e um bom carro, ela poderá lutar de igual para igual com os homens, como eu fiz”, afirmou a jovem que tem conciliado a motovelocidade com a faculdade de Direito e concorreu no mês passado ao prêmio de revelação do ano, pelo Laureus. / D.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.