Divulgação/Alfa Romeo
Divulgação/Alfa Romeo

Aos 41 anos, Kimi Raikkonen, campeão de Fórmula 1 em 2007, anuncia aposentadoria

Conhecido como 'homem de gelo', piloto finlandês da Alfa Romeo também acumula passagens por Ferrari, McLaren e Lotus e se tornou um dos principais e mais respeitados nomes da Fórmula 1

Redação, Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2021 | 16h21

Kimi Raikkonen anunciou, nesta quarta-feira, em suas redes sociais, que vai abandonar as pistas de Fórmula 1 no final desta temporada. O piloto finlandês, de 41 anos, campeão mundial em 2007, quando corria pela Ferrari, está na Alfa Romeo e não tem conquistado bons resultados nos últimos anos.

"É isso. Esta será minha última temporada na Fórmula 1. Esta é uma decisão que tomei durante o inverno passado. Não foi uma decisão fácil, mas depois desta temporada é hora de coisas novas. Mesmo que a temporada ainda esteja sendo disputada, quero agradecer a minha família, todas as minhas equipes, todos os envolvidos na minha carreira de automobilismo e principalmente a todos os grandes fãs que têm torcido por mim todo esse tempo. A Fórmula 1 pode chegar ao fim para mim, mas há muito mais coisas na vida que quero experimentar e desfrutar. Vejo vocês por aí depois de tudo isso! Sinceramente Kimi", escreveu o piloto.

Na atual temporada, Raikkonen soma apenas dois pontos na classificação. Para o seu lugar a equipe italiana possui várias opções. Desde o veterano e experiente Valterri Bottas, até os novatos Callum Ilott, Nyck de Vries e Théo Pourchaire.

Raikkonen entrou na Fórmula 1 como piloto da Sauber-Petronas em 2001. Mudou para a McLaren Mercedes em 2002, e terminou as temporadas de 2003 e 2005 como vice-campeão, atrás de Michael Schumacher e Fernando Alonso, respectivamente.

Raikkonen se tranferiu para a Ferrari em 2007, se tornando o piloto mais bem pago da história do automobilismo com um salário estimado em US$ 51 milhões por ano. O dinheiro investido teve o retorno esperado e o finlandês se sagrou campeão em seu primeiro ano na tradicional equipe italiana.

Essa será sua segunda aposentadoria da Fórmula 1. Em 2010, deixou a categoria para dirigir um Citroën C4 WRC na equipe Citroën Junior Team no Campeonato Mundial de Rally, além de estrear na Nascar pela equipe Kyle Busch Motorsports.

Retornou para a F-1 em 2012 na equipe Lotus, obtendo bons resultados. Em 2014, migrou novamente para a Ferrari para ocupar a vaga de Felipe Massa. Quatro temporadas depois foi para a Alfa Romeo. Ao todo, Raikkonen somou 21 vitórias na principal categoria do automobilismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.