Charles Coates/AFP Photo
Charles Coates/AFP Photo

Apesar da 5ª posição, Hamilton festeja: 'Poderia ter perdido muito mais pontos'

Com a vitória de Vettel, piloto da Mercedes cai para a 2.ª posição na classificação dos pilotos

Estadão Conteúdo

10 Junho 2018 | 20h18

O inglês Lewis Hamilton disputou o GP do Canadá de Fórmula 1, neste domingo, com motor usado nas seis etapas anteriores. Com alguns problemas no equipamento, terminou a corrida apenas na quinta posição e perdeu a liderança para o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari. Ainda assim, o piloto da Mercedes festejou: "Eu poderia ter perdido muito mais pontos hoje (domingo)", avaliou, friamente, após a bandeirada.

+ Tudo sobre a Fórmula 1!

+ Vettel vence de ponta a ponta no Canadá e ultrapassa Hamilton na liderança da F-1

+ Vettel comemora vitória histórica: 'Legal mostrar que a Ferrari ainda está viva'

Durante a prova, o piloto da Mercedes via o seu carro perder rendimento a cada volta, com problema de aumento da temperatura do motor. "Eu estava meio no limite, esperando que a temperatura caísse e desaparecesse porque ficava caindo e voltando e caindo".

Foi quando a equipe resolveu antecipar o pit stop e tentar solucionar o problema. Os mecânicos fizeram mudanças no sistema de resfriamento, o que melhorou em partes o rendimento do carro. "Estou muito grato por ter terminado a prova. Estou feliz que terminei".

Sobre a perda da liderança, Lewis Hamilton disse que não é hora de entrar em desespero, faltando 14 etapas para o final do campeonato. "Não há razão para perder o controle ou algo assim. Nós só precisamos continuar fazendo o que estamos fazendo, mantendo a cabeça no lugar e mantendo-nos motivados, continuando pressionando porque a Ferrari vai vacilar. Continuaremos aplicando a pressão", afirmou o inglês. "Tenho certeza de vamos voltar fortes na próxima corrida", concluiu.

Segundo colocado na prova, o companheiro de Lewis Hamilton na Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas, disse que "a equipe fez o máximo possível" com o motor que rodou a sua sétima corrida.

O finlandês também comentou sobre o fato de chegar em segundo lugar pela quarta vez em sete etapas. "O segundo lugar, quando você realmente quer vencer corridas, não é o melhor lugar para estar. Mas onde começamos, com o início que tivemos, com o ritmo que tivemos, não foi possível outra coisa. É onde estamos como equipe agora. A Ferrari foi melhor neste fim de semana, a Red Bull muito perto de nós. Então, eu não fico muito chateado por estar em segundo, mas sem dúvida eu realmente quero ganhar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.