Charles Coates/AFP Photo
Charles Coates/AFP Photo

Apesar da 5ª posição, Hamilton festeja: 'Poderia ter perdido muito mais pontos'

Com a vitória de Vettel, piloto da Mercedes cai para a 2.ª posição na classificação dos pilotos

Estadão Conteúdo

10 Junho 2018 | 20h18

O inglês Lewis Hamilton disputou o GP do Canadá de Fórmula 1, neste domingo, com motor usado nas seis etapas anteriores. Com alguns problemas no equipamento, terminou a corrida apenas na quinta posição e perdeu a liderança para o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari. Ainda assim, o piloto da Mercedes festejou: "Eu poderia ter perdido muito mais pontos hoje (domingo)", avaliou, friamente, após a bandeirada.

+ Tudo sobre a Fórmula 1!

+ Vettel vence de ponta a ponta no Canadá e ultrapassa Hamilton na liderança da F-1

+ Vettel comemora vitória histórica: 'Legal mostrar que a Ferrari ainda está viva'

Durante a prova, o piloto da Mercedes via o seu carro perder rendimento a cada volta, com problema de aumento da temperatura do motor. "Eu estava meio no limite, esperando que a temperatura caísse e desaparecesse porque ficava caindo e voltando e caindo".

Foi quando a equipe resolveu antecipar o pit stop e tentar solucionar o problema. Os mecânicos fizeram mudanças no sistema de resfriamento, o que melhorou em partes o rendimento do carro. "Estou muito grato por ter terminado a prova. Estou feliz que terminei".

Sobre a perda da liderança, Lewis Hamilton disse que não é hora de entrar em desespero, faltando 14 etapas para o final do campeonato. "Não há razão para perder o controle ou algo assim. Nós só precisamos continuar fazendo o que estamos fazendo, mantendo a cabeça no lugar e mantendo-nos motivados, continuando pressionando porque a Ferrari vai vacilar. Continuaremos aplicando a pressão", afirmou o inglês. "Tenho certeza de vamos voltar fortes na próxima corrida", concluiu.

Segundo colocado na prova, o companheiro de Lewis Hamilton na Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas, disse que "a equipe fez o máximo possível" com o motor que rodou a sua sétima corrida.

O finlandês também comentou sobre o fato de chegar em segundo lugar pela quarta vez em sete etapas. "O segundo lugar, quando você realmente quer vencer corridas, não é o melhor lugar para estar. Mas onde começamos, com o início que tivemos, com o ritmo que tivemos, não foi possível outra coisa. É onde estamos como equipe agora. A Ferrari foi melhor neste fim de semana, a Red Bull muito perto de nós. Então, eu não fico muito chateado por estar em segundo, mas sem dúvida eu realmente quero ganhar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.