Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Apesar de escândalo sexual, Haas confirma Mazepin no Mundial de F-1 em 2021

Equipe americana disse que episódio assédio sexual do qual piloto russo é acusado será discutido internamente

Redação, Estadao Conteudo

23 de dezembro de 2020 | 14h43

A equipe Haas anunciou, nesta quarta-feira, que o russo Nikita Mazepin será um dos pilotos da equipe na temporada 2021 da Fórmula 1, apesar do escândalo sexual do qual foi protagonista, ao postar um vídeo nas redes sociais apalpando os seios de uma modelo venezuelana no banco de trás de um carro.

Por intermédio de um comunicado, a equipe afirmou que "não fará comentários em relação ao comportamento de Mazepin durante o Grand Prêmio de Abu Dabi" e que o assunto será discutido "internamente".

Após o ocorrido, Mazepin postou um novo vídeo no qual pediu desculpas e retirou as imagens anteriores das redes sociais. "Queria me desculpar pelas minhas ações recentes, tanto pelo comportamento inapropriado, quanto pelo fato de ter postado (o vídeo) em redes sociais. Me desculpem pelo que causei e por envergonhar a Haas. Tenho que manter meus padrões altos como um piloto de Fórmula 1 e reconheço que decepcionei a mim e outras pessoas. Prometo que aprenderei com isso", disse o comunicado.

Apesar das desculpas, sua atitude fez com que surgisse uma série de pedidos por parte dos fãs e até de patrocinadores da equipe para que o piloto não fosse escalado para dirigir o carro no ano que vem.

Mazepin, de 21 anos, vai fazer dupla na próxima temporada com Mick Schumacher, filho do lendário heptacampeão mundial da Fórmula 1, Michael Schumacher.

Tudo o que sabemos sobre:
HaasFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.