Andrej Isakovic / AFP
Andrej Isakovic / AFP

Após abandonos, Alonso diz que McLaren 'deu passo para trás'

Espanhol lamenta trocas de motores fora de hora, que causam punições no grid de largada

Estadão Conteúdo

04 Setembro 2018 | 13h34

Perto de deixar a Fórmula 1, o piloto Fernando Alonso parece não conseguir quebrar a rotina de dificuldades e problemas na McLaren. Em sua melhor temporada pela equipe inglesa, desde o seu retorno em 2015, o espanhol vinha somando bons pontos no campeonato. Mas os abandonos recentes, nas duas últimas provas da temporada, fizeram Alonso voltar a criticar a equipe.

Na sua avaliação, a McLaren "deu um passo para trás" em sua evolução ao longo de 2018. Foi por essa razão, diz o piloto, que ele precisou abandonar os GPs da Bélgica e da Itália, disputado no fim de semana.

"É uma pena porque algumas vezes estávamos na zona de pontos, como aconteceu em Monza. A confiabilidade da equipe parece que deu um passo para trás. Com certeza precisamos evoluir neste aspecto para as corridas restantes da temporada", diz Alonso. "Eu tive seis abandonos neste ano, a maioria por problemas mecânicos."

O espanhol lamenta ainda que provavelmente terá que trocar de motor fora de hora em alguma das próximas etapas, o que vai gerar punição no grid de largada. "Estamos passando por um momento de azar. Em Spa [Bélgica], fomos atingidos na largada, na Itália tivemos um problema com o carro nas primeiras voltas. Mas a verdade é que nestes dois circuitos cogitamos a possibilidade de trocar o motor."

Alonso avalia que a decisão de não trocar a unidade de potência em Monza foi a melhor. "Estávamos na zona de pontuação após cinco ou seis voltas. Então foi uma boa decisão não trocar o motor. Mas a troca será necessária daqui um ou duas corridas", projetou Alonso.

O bicampeão mundial anunciou na metade do mês passado que iria deixar a Fórmula 1 no fim da atual temporada. Ele ainda não divulgou qual será o seu destino, mas uma possibilidade é competir na Fórmula Indy.

 
Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1 Mclaren Fernando Alonso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.