Após ano duro, Itália celebra Raikkonen e a Ferrari

Imprensa enaltece papel da equipe de Maranello durante a disputa do Grande Prêmio do Brasil, em Interlagos

Mark Meadows, da Reuters,

22 de outubro de 2007 | 10h25

Os italianos fanáticos pela Ferrari estão eufóricos com o surpreendente título mundial conquistado no domingo por Kimi Raikkonen, após uma temporada marcada por escândalos que há poucos meses parecia perdida. Veja também:  Dê uma volta pelo Circuito de Interlagos Classificação do Mundial  Com título, Raikkonen acaba com a fama de azarado Título de Raikkonen marca temporada cheia de reviravoltas A vitória e o título de Raikkonen  Crônica e classificação do GP do Brasil "Tudo tão incrível, mas verdadeiro", foi a manchete desta segunda-feira do jornal Gazzetta dello Sport, comentando a vitória do finlandês em Interlagos, que lhe deu o título mundial por apenas um ponto de vantagem. "Ele conquistou o título mundial contra todas as previsões", acrescentou o jornal. Em junho, após sete provas, a Ferrari parecia sem chances tanto no mundial de pilotos quanto na disputa entre equipes, após um início de ano arrasador do estreante da McLaren Lewis Hamilton. Na época, parte da imprensa italiana chegou a questionar o futuro de Raikkonen e do brasileiro Felipe Massa na equipe. O desânimo se agravou quando a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) decidiu inicialmente não punir a McLaren por ter supostamente obtido informações secretas da Ferrari por meio de espionagem. Mas a Ferrari não desistiu, nem nas pistas, nem nos corredores do poder. Em setembro, uma outra audiência da FIA examinou novas provas no caso de espionagem e puniu a McLaren com a perda de todos os pontos no Mundial de Construtores, o que deu por antecipação o título à equipe italiana. Agora, a vitória de Raikkonen dá aos italianos uma sensação de justiça, já que os pilotos da McLaren não foram punidos com perda de pontos no incidente. A Ferrari realizou uma festança em sua sede, em Maranello, e em todo o país houve carros buzinando nas ruas a noite inteira, refletindo o fato de que a Ferrari é tratada como se fosse uma seleção nacional na F-1. Mas houve momentos de susto, pois queixas de outros pilotos sobre o combustível usado pela McLaren colocaram em dúvida o título de Raikkonen, que foi confirmado horas depois. Raikkonen, que já fora vice em duas temporadas, foi elogiado até pelo presidente da Itália, Giorgio Napolitano. "Cumprimentos a Kimi Raikkonen, Felipe Massa e a todo o time da Ferrari por uma vitória extraordinária em circunstâncias difíceis", disse ele em nota. O Milan, atual campeão europeu, mas que atravessa uma má fase, também homenageou a equipe. "Os campeões europeus aplaudem com orgulho o novo campeão mundial vermelho. A Ferrari ganhou um enésimo título, confirmando que é a melhor. A Itália novamente está honrada no esporte", disse nota do clube.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariKimi Raikkonen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.