Tamas Kovacs/ EFE
Tamas Kovacs/ EFE

Daniel Ricciardo diz que poderia ter vencido na GP da Hungria

Australiano se envolveu em acidentes, atrapalhando a Mercedes

Estadão Conteúdo

26 de julho de 2015 | 15h21

O australiano Daniel Ricciardo teve grande responsabilidade em acabar com a sequência de pódios da Mercedes que vinha desde 2013. O piloto da Red Bull fez uma boa corrida neste domingo no GP da Hungria, em Budapeste, e se envolveu em dois acidentes fundamentais para tirar a equipe alemã dos três primeiros lugares.

Primeiro, na relargada, na 49ª volta, Ricciardo tentou ultrapassar Lewis Hamilton, então quarto colocado, mas levou um chega pra lá. O inglês teve parte de sua asa dianteira quebrada, precisou ir aos boxes e ainda foi considerado culpado pelo toque e caiu para 14º, enquanto o australiano manteve-se entre os primeiros colocados.

Na parte final da corrida, o alemão Sebastian Vettel liderava com folga, e seu compatriota Nico Rosberg, da Mercedes, tinha dificuldades para diminuir a distância. Ricciardo, que vinha em um bom ritmo, passou a ameaçá-lo. Na volta 64, o australiano enfim deu o bote no fim da reta. Rosberg tentou responder e fazer o "X", mas houve o toque. O alemão levou a pior, teve o pneu furado e a asa quebrada. O piloto da Red Bull deu sorte e confirmou a terceira posição. A direção de prova entendeu que o toque não teve culpados.

Após a corrida, Ricciardo admitiu que a tentativa de ultrapassagem foi ousada, mas ele também sentia-se determinado a aproveitar a oportunidade. "Vim de trás e achei que o caminho estava limpo, mas Nico voltou e tocou na minha asa e no meu pneu. Nós dois arruinamos nossa chance de vencer", comentou.

O australiano acreditava que no ritmo que vinha poderia ter chegado em Vettel e vencido a prova, não fosse o incidente. "Sabíamos que tínhamos velocidade nas retas, mas eu sabia que era rápido o suficiente para vencer", comentou Ricciardo. "Vi Vettel não abrindo tanta vantagem na liderança, então se não tivesse tocado em Nico, teria pegado o Seb (Vettel)", prosseguiu.

No fim das contas, Ricciardo se mostrou satisfeito com o primeiro pódio na temporada em uma corrida que teve diversos incidentes e terminou com a vitória de Vettel. O resultado, ele dedicou ao piloto francês Jules Bianchi, que morreu em 17 de julho.

"Foi uma corrida maluca. Teve um acidente na curva 1 e pensei que minha corrida havia acabado. Depois teve um contato na relargada com o Lewis (Hamilton), e pensei que minha corrida havia acabado novamente. E ainda teve o contato com o Nico também," comentou. "Hoje coloquei meu coração em tudo. Era a maneira que Jules gostaria de fazer. Sinto que ganhei um pouco de força hoje e dedico essa conquista a ele", finalizou.

O GP da Hungria registrou o melhor resultado da temporada para a Red Bull. Além de Ricciardo na terceira colocação, o companheiro de equipe, o russo Daniil Kvyat, de 21 anos, surpreendeu e garantiu o segundo lugar, em seu primeiro pódio da carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.