Francisco Guasco/EFE
Francisco Guasco/EFE

Após chegar em segundo, Vettel admite que GP do México 'poderia ter sido melhor'

'Foi uma corrida intensa, não tive sossego', diz o alemão, que é tetracampeão da Fórmula 1

Redação, Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2019 | 20h04

Em meio à caça do inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, ao hexacampeonato na Fórmula 1, a atuação dos pilotos da Ferrari ficou ofuscada no GP do México, mas Sebastian Vettel fez corrida sólida para chegar em segundo no Autódromo Hermanos Rodríguez. O alemão, porém, não ficou plenamente satisfeito com o pódio na Cidade do México. "Estou feliz porque foi uma boa prova, mas aqui, e com a estratégia, poderia ter sido melhor", analisou o tetracampeão mundial.

Vettel também falou sobre o rendimento da Ferrari com os compostos mais duráveis, que normalmente prejudicam o time de Maranello. "Surpreendentemente, os pneus duros funcionaram bem", celebrou. "Foi uma corrida intensa, não tive sossego. A pressão do Valtteri [Bottas] no último stint me impediu de focar no Lewis, que meio que se arrastou a ponto do pelotão se juntar, mas imagino que ele tinha pneu ainda", ponderou o alemão.

A briga mencionada pelo piloto da Ferrari deixou tenso o final da prova, mas as posições acabaram se mantendo, com Hamilton na ponta - lutando contra o desgaste de pneus -, Vettel em segundo e Bottas em terceiro.

O quarto colocado foi o monegasco Charles Leclerc, também representante da escuderia italiana. O jovem piloto largou na pole position, mas foi prejudicado por erros da equipe vermelha na estratégia e nos boxes.

Enquanto Hamilton, Vettel e Bottas fizeram uma parada, Leclerc fez dois pit stops. No segundo, a Ferrari foi lenta na troca do pneu traseiro esquerdo e o monegasco acabou perdendo segundos preciosos que poderiam ter permitido ataque a Bottas.

"Quando fizemos o primeiro pit, sabíamos que seria uma corrida de duas paradas. Mas todos os outros fizeram só uma parada, então foi muito difícil", comentou Leclerc após a prova.

"Acho que o segundo stint também não foi bom. Não me senti bem no composto médio. Nos últimos fins de semana, a estratégia não tem sido boa. Eu deveria ter ido ao rádio para ser mais decisivo, como Sebastian fez", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.