Peter Steffen/EFE
Peter Steffen/EFE

Após dobradinha histórica, Brawn GP anuncia demissões

Equipe inglesa dispensa 270 funcionários para se adequar à necessidade de baixo custo operacional

AE-AP, Agência Estado

30 de março de 2009 | 10h58

LONDRES -O dia seguinte à dobradinha da Brawn no GP da Austrália de Fórmula 1 não foi apenas de festa na equipe. Nesta segunda-feira, Nick Fry, diretor da escuderia inglesa, anunciou que haverá uma demissão em massa no quadro de funcionários, diminuindo o número de empregados de 700 para cerca de 430. A medida é parte da política de baixo custo operacional que deve ser implantada pelo time ao longo deste ano.

Veja também:

linkHonda envia mensagem de felicitação à Brawn por vitória 

linkApós bater na largada, Barrichello não esperava recuperação 

especialESPECIAL: Conheça os pilotos e equipes da F-1

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

"Serão cerca de 270 demissões. Falamos com os funcionários que teremos de ter cerca de 430 deles, que é o número que a BAR tinha em 2004", disse Fry ao jornal inglês Daily Telegraph nesta segunda-feira.

De acordo com o dirigente, os funcionários que serão demitidos já foram comunicados do desligamento há uma semana. Todos eles estavam na escuderia na temporada do ano passado, quando a Honda ainda era a responsável pela equipe de Brackley. "É uma pena que tenhamos de fazer isso, mas agora somos uma equipe privada e operamos com um orçamento menor", afirmou Fry.

Com a vitória de Jenson Button e o segundo lugar de Rubens Barrichello na Austrália, a Brawn GP tornou-se a primeira equipe a estrear com dobradinha na Fórmula 1 desde a Mercedes, há 55 anos.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1Brawn GPdemissões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.