Stephanie Lecocq/EFE
Stephanie Lecocq/EFE

Após dois incidentes entre seus pilotos, chefe da Force India diz que intervirá

Vijay Mallya ordena que Esteban Ocon e Sergio Perez sigam ordens da equipe após colisões no começo e no meio da prova

Estadão Conteúdo

27 de agosto de 2017 | 16h42

A relação entre os pilotos da Force India piorou ainda mais após o GP da Bélgica neste domingo. O francês Esteban Ocon e o mexicano Sergio Pérez se tocaram por duas vezes e agora o chefe da equipe, Vijay Mallya, informou que ambos terão de seguir na pista as ordens dos diretores.

"Apesar de gostar que os pilotos sejam competitivos durante as corridas, os repetidos incidentes entre nossos dois carros estão se tornando um problema. Por conta dessas circunstâncias, não tenho escolhas a não ser implementar um policiamento. Agora terão de seguir as ordens da equipe por segurança e para proteger a posição da equipe no Mundial de Construtores", comentou.

O primeiro toque entre os pilotos aconteceu logo na largada. Pérez espremeu Ocon contra o muro. "Esse na largada posso aceitar porque estávamos muito próximos, apesar dele ter me colocado na parede", comentou o francês.

O segundo, no entanto, deixou Ocon bastante irritado. Na volta 29 houve novo toque no mesmo trecho. Desta vez, Ocon perdeu parte da asa dianteira e Pérez teve um pneu furado. O mexicano foi considerado culpado.

"Ele me espremeu e bateu na asa dianteira do meu carro, arriscando nossas duas corridas sem nenhum motivo", comentou Ocon, que terminou na nona colocação. "Isso nos custou pontos no campeonato. Não dá para entender porque ele foi tão agressivo. Vou querer conversar com ele a sós e dar meu ponto de vista. Foi uma vergonha, perdemos alguns pontos importantes".

Pérez, que abandonou a prova, tratou de se defender. "Estou desapontado com a forma pela qual a corrida aconteceu. Os dois toques arruinaram a corrida para a equipe. Peço desculpas pelo incidente na largada, que foi culpa minha", analisou.

No segundo, no entanto, ele se eximiu. "Acho que ele (Ocon) estava muito otimista porque não havia espaço para se mover. Estava no meu espaço e esperava que ele me atacasse após a passagem pelo muro. Acho que nós dois nos precipitamos e prejudicamos a equipe. Depois disso meu carro passou a ter muitos problemas para seguir", finalizou.

Essa não foi a primeira corrida em que os dois pilotos se estranharam na pista. A dupla já havia se desentendido no GP do Azerbaijão e também no Canadá. Agora, eles terão de acatar as ordens da equipe para evitar novos problemas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.