Hamilton e Rosberg festejam chegada da Fórmula 1 ao Japão

Lewis Hamilton e Nico Rosberg tiveram um final de semana decepcionante em Cingapura. Enquanto o inglês abandonou a prova disputada no último domingo, o alemão ficou fora do pódio e terminou no modesto quarto lugar, que ao menos serviu para ele diminuir um pouco a larga vantagem para seu companheiro de Mercedes na liderança do Mundial de Fórmula 1.

Estadão Conteúdo

23 de setembro de 2015 | 11h14

Passada a corrida em Cingapura, os dois pilotos comemoraram nesta quarta-feira a chegada da categoria ao Japão, que receberá no tradicional circuito de Suzuka, no próximo domingo, a 14ª etapa do Mundial. Hamilton não esconde a sua paixão pela pista local, assim como destaca a ótima atmosfera criada pelos fanáticos torcedores japoneses como atrativos que o motivam a voltar a vencer uma corrida.

Conformado com o final de semana que qualificou como "estranho" em Cingapura, Hamilton lembrou que vem tendo uma "temporada incrível até agora e teve tempo suficiente para aceitar que você não pode ganhar todas". "Então é apenas o caso de deixar o final de semana para trás e partir para o próximo", enfatizou.

Vencedor do GP do Japão no ano passado, o inglês também destacou que o final de semana de corrida no país é "sempre memorável". "Tóquio é uma das minhas cidades favoritas e Suzuka é definitivamente uma das melhores pistas do mundo - boa para ultrapassar, com algumas curvas lendárias em que vimos momentos históricos ao longo dos anos", disse, para depois completar: "Os fãs também são incríveis - tão empolgados e acolhedores. Foi ótimo finalmente vencer lá no ano passado e esse será o grande objetivo de novo".

Hamilton, entretanto, não deixou de lembrar que será impossível não pensar no piloto francês Jules Bianchi, que morreu neste ano meses após ficar em coma depois de grave acidente sofrido no GP do Japão do ano passado. "É claro, retornar a Suzuka também significa ter Jules em nossos pensamentos e estarei enviando força aos seus familiares", afirmou.

Rosberg, por sua vez, chega ao Japão com o objetivo de reduzir a vantagem de 41 pontos de Hamilton na liderança do Mundial e enfatizou que essa é uma oportunidade boa para a Mercedes se redimir em relação ao GP de Cingapura. "Não foi um bom final de semana para nós", reconheceu o alemão, que depois analisou a pista de Suzuka como "incrível, uma das melhores do automobilismo, e um verdadeiro grande teste para as habilidades do piloto". "Um pequeno erro pode custar muito tempo", alertou.

O atual vice-líder do Mundial disse que a receita para triunfar em Suzuka é "encontrar um bom ritmo e isso é um desafio que eu realmente gosto". "Eu não tive a melhor sorte neste circuito no passado e eu adoraria mudar isso", afirmou, para também lembrar que todos os pilotos estarão "pensando em Jules e sua família neste fim de semana". "Ele estará sempre em nossos corações."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.