Valery Hache / AFP
Valery Hache / AFP

Após participar de remake de filme, Leclerc confirma recomeço da Fórmula 1 na Áustria

Piloto da Ferrari dirigiu pelas ruas de Mônaco para refilmagem de curta-metragem clássico do diretor Claude Lelouch

Redação, Estadão Conteúdo

24 de maio de 2020 | 22h48

O piloto da Ferrari Charles Leclerc participou neste domingo do remake do curta-metragem 'C'était un rendez vous', do diretor francês Claude Lelouch. Após pilotar pelas ruas de Mônaco, o jovem participou de uma entrevista divulgada pela escuderia italiana na qual acabou confirmando que o início da temporada 2020 da Fórmula 1 será na Áustria.

"Em um mês estaremos de volta aos circuitos da F1 e a temporada vai começar. Mal posso esperar. Sinto muita falta de correr e estou me preparando mais do que nunca durante a quarentena, tive muito tempo livre. Eu me sinto pronto para voltar ao carro. Te vejo na Áustria em um mês!", disse Leclerc, no vídeo.

A temporada da Fórmula 1 foi afetada pela pandemia do coronavírus, com sete grandes prêmios sendo adiadas e três cancelados - entre eles, o de Mônaco, que deveria ter sido disputado justamente neste domingo. Agora, a categoria pensa em alternativas de segurança para retomar as corridas sem que ninguém seja infectado.

GRAVAÇÕES

O curta-metragem original de 'C'était un rendez vous' foi gravado em Paris, em 1976, e mostra Lelouch acelerando seu carro pelas ruas de Paris até chegar à Basílica de Sacré-Coeur, no bairro de Montmartre, às 5h 30 da manhã. Na ocasião, o diretor chegou a ser preso. No entanto, o filme ganhou status cult e foi refilmado por Lelouch neste domingo, com apoio das autoridades de Mônaco.

Leclerc pilotou uma Ferrari SF90 Stradale e chegou a 240km/h no mesmo circuito que os pilotos utilizam no GP de Mônaco, o mais tradicional da categoria. O príncipe Albert II de Mônaco apareceu brevemente no filme, e John Elkann, presidente da Ferrari, e os príncipes Andrea Casiraghi e Pierre Casiraghi com sua esposa, a princesa Beatrice Borromeo, visitaram o set de filmagem.

A gravação só foi possível porque tanto a França quanto Mônaco estão começando a sair do lockdown causado pelo coronavírus. O público pode acompanhar das janelas e das ruas e o trânsito foi interrompido. O filme será finalizado e a previsão é de que seja lançado no dia 13 de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.